quinta-feira, 14 de abril de 2011

Não Norma, é Léo quem salva Insensato Coração

Muito antes da estreia de Insensato Coração começou o burburinho na internet e na mídia dando conta que a novela de Gilberto Braga e Ricardo Linhares seria novamente um marco para a teledramaturgia. Mesmo sem saber da sinopse, o comentário geral era esse pelo simples fato do autor conseguir dar novamente a Glória Pires o papel de principal vilã - impossível não lembrar automaticamente de seus marcantes papéis em Vale Tudo e Mulheres de Areia.

O folhetim começou, já está quase chegando na metade e o que se viu até o momento é uma excelente construção de personalidade de Norma. A personagem iniciou a trama como uma mulher frágil, inocente e presa fácil para os enganadores. Aos poucos, graças ao seu triste destino, ela começou a a ter sua personalidade ferida e vem já dando sinais de inteligência e sagacidade, prontas para serem usadas para o mal. 

Fosse uma obra literária, certamente Norma seria a melhor personagem de Insensato Coração, digna de análise filosófica, porém, trata-se de uma novela, obra com 200 capítulos em média e que necessita de ação para chamar a atenção do telespectador. Ninguém é muito interessado em assistir uma calma e gradativa construção de personagem antagônica, o que o público quer mesmo é ver os vilões em ação.

E neste ponto, a produção falha. Se no começo era interessante acompanhar o drama e as mudanças de personalidade de Norma, agora, quase 100 capítulos depois, isso já cansou. Deixou de se tornar a construção da personagem e se tornou enrolação pura. Por conta disso, ninguém suporta mais ver tantas cenas de sofrimento e de luta moral que a personagem de Glória Pires - brilhante no papel, diga-se - vem tendo desde seu aparecimento na segunda semana.

É justamente por este motivo que a salvação de Insensato Coração não é Norma, como previam alguns críticos, mas sim Léo (Gabriel Braga Nunes), o verdadeiro perverso da história. Léo teve toda a construção histórica do personagem contada em uma cena, no primeiro capítulo, mostrando-o, ainda criança, em crises de ciúmes do irmão mais novo e isso o tornou mau. Puro e simplesmente mau.

Enquanto Norma sofre, é enganada, vai para a cadeia, é perseguida, tenta revidar, bate e apanha. Léo apronta, rouba, engana os pais, engana o irmão, sai com garotas de programas, engana senhoras, mata bandidos e até é responsável pela morte de uma mulher. A diferença de atitude entre Léo e Norma nas seqüências da trama é gritante. Léo é infinitamente mais carismático e tornou-se a peça responsável por fazer Insensato Coração ganhar um pouco de vida. Norma, por enquanto, permanece na promessa.

2 Quebraram tudo:

Gabriel Borba disse...

Daniel
Acho que tua análise está muito bem feita.
Vejo claramente isto ao assistir à novela com minha esposa e filha, por exemplo. O desinteresse é total quando as cenas não envolvem o Leo.
É uma novela de um personagem só.
Até por que, vamos combinar, aquela "história de amor" entre Marina e Pedro é um pé bem dado no saco. Que coisa!
Não precisa ser nenhum Nostradamus para adivinhar o que vai acontecer quando a Norma começar sua vingança contra o Leo: todo mundo vai torcer para ele. Não tenho a menor dúvida.
Um abraço.

Marcia Carvalho disse...

Esse gabriel Braga Nunes è Espetacular!!!!
Essa trama mostra como algo não resolvido na infancia pode formar um psicopata.
Realmente Glória pires não deu tudo de si nesse papel.
pelo menos até agora,mas com o talento dela tudo pode mudar.

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira