sábado, 15 de maio de 2010

Viver a Vida: Eu sobrevivi

Terminou na noite da última sexta-feira a pior produção da história da Rede Globo no âmbito de telenovelas - que ela é especialistas - Viver a Vida. Novela assinada por Manoel Carlos e que algumas pessoas acreditavam que seria a maior audiência desde Páginas da Vida, fecha o ciclo com a pior média da história das novelas das 8, um feito e tanto, que Manoel Carlos tirou de Aguinaldo Silva (por Suave Veneno).

As chamadas de antes da trama começar, chegaram a enganar alguns incautos que são fãs do trabalho do autor, mas não este blog. Na segunda-feira de estréia da novela, este espaço escreveu um texto (que também foi lido no site Famosidades) cujo título definia minha expectativa para o folhetim: Vem aí, Viver o sono. Fui criticado, sites especializados e fãs árduos de Maneco não perderam a chance de criar diversos apelidos "carinhos" para o blog.

Hoje, 203 capítulos depois, acho que só restam a todos concordar que eu tinha razão. E não porque eu entendo mais do que outros, mas porque estava claro, desde Páginas da Vida que Manoel Carlos não tem mais condições de conduzir - ao menos não sozinho - uma história com tantos capítulos e que exige tantas histórias. O autor já foi muito bom e tem uma linda história como novelista, afinal, é dele sucessos como Laços de Família e Mulheres Apaixonadas. Porém, infelizmente, ele não compreendeu que não há mais criatividade, força física ou mental, não dá pra saber, para conduzir um folhetim. É tempo de aposentar-se e seus amigos já deviam ter dito isso.

Viver a Vida não teve apenas a pior audiência da história, foi a pior novela da história. Sem um enredo que chamasse a atenção do telespectador, sem nenhuma - repito nenhuma - situação dramatúrgica que justificasse uma história para a televisão, a trama tentou se sustentar apenas pelos diálogos, especialidade do autor, mas nem isso foi bom. Diálogos amarrados, modorrentos, sem nada de humor e fora de realidade marcaram todo o folhetim, de ponta a ponta. Como eu já disse em outro texto, sendo obrigado a definir o que foi Viver a Vida, a melhor categoria seria a estréia da antinovela, pois Maneco deu uma aula de como não se escrever um folhetim.

O que se pode dizer 203 capítulos depois dessa tortura, é justamente isso: Eu, e minha paixão por telenovelas, sobrevivemos a Viver a Vida.

7 Quebraram tudo:

Nair disse...

Uma definição: Insuportável. Essa jossa deveria ter se chamado Viver a Morte, pq era de matar assistir, ou sequer ouvir aquilo lá quando alguem assistia. Até eu escreveria uma novela melhor, até pq pior nem poderia ser né...
Deus é pai e aquela porcaria já era. Que venha uma Obra do mestre Silvio de Abreu!

Zenilde disse...

Concordoo... Voc tinha razão desde o primeiro capítulo... Novelinha mais chata q eu já vi .. superou a péééssima Paginas da vida..aff
E que Deus te ouça e o Maneco se aposente logo pq já passou da hora!

Daivison Tavares disse...

Eu nunca pensei que ia dizer isto sobre uma novela de Manoel Carlos,mas Viver a Vida foi mesmo a pior novela de todos os tempos.Eu achei por parte do Manoel Carlos uma falta de respeito com Taís Araújo, ele a convidou pra viver sua personagem central e não deu a "Helena" nada que chamasse a atenção do público.Muitos sites criticaram a atuação de Taís e jogavam sobre ela a culpa do fracasso da novela,mas o grande fracassado foi Maneco.Ele deu ênfase a personagem de Aline Moraes e no último capítulo como em toda a novela a maioria das cenas de Taís Araújo estavam relacionadas a personagem Luciana, nem o parto da "protagonista o autor mostrou.
Essa novela foi um horror, péssima e vai marcar a todos nós fãs de telenovelas como a pior coisa que a Globo colocou no ar.

João Lucas disse...

Realmente Viver a Vida foi um tédio, o maior erro da emissora carioca. Deve ser duro para um autor de televisão constatar que já não consegue mais escrever uma trama forte o suficiente para atrair o público.
Os telespectadores assíduos como nós merecemos uma produção de qualidade e entretenimento, após a infeliz história contada por Glória Perez intitulada Caminho das Índias todos esperávamos algo bom, mais o que se viu foi a pior história(se é que pode ser chamada assim) contada pela Rede Globo.
Maneco mais uma vez pecou por ter um elenco de "trocentos" personagens, onde alguns nem se quer entratam na novela e outras fizeram figuração de luxo, dentre eles a excelente atriz Christine Fernandes com a sua correta Ariane, Maria Luísa Mendonça com a divertida Alice, Lolita Rodrigues apenas a mãe de Marcos.
Porém o pior fizeram com a atriz Taís Araújo, uma das melhores de sua geração, que pulou de núcleo em núcleo durante meses a fio sem fazer algo de importante para o enredo contado, cada vez que a via em cena tinha a absoluta certeza que ao invés da sinopse a atriz recebeu um papel com os seguintes dizeres SE VIRA.
Sempre que via um capítulo tinha a impressão de ter visto algo parecido antes , pois, as cenas eram todas iguais e a direção lenta de mais, sem contar nos discursos longos e chatos da Tereza da grande Lília Cabral. Eu sempre pensava como a Rede Globo com toda a sua qualidade errava mais uma vez com o seu principal produto, pois, depois de A Favorita (a melhor novela de todos os tempos), o que se viu foi coisa de amadores e não da emissora Q.
Porém a telenovela teve alguns acertos que foram a superação de Luciana com Alline Moraes muito bem no papel, a revelação de Adriana Birolli com a melhor personagem da novela, a sincera Isabel e Bárbara Paz provando ser uma boa atriz com sua Renata (embora o autor ter acabado com a história da moça no meio do caminho). Porém o que se viu foram mais erros que acertos e Viver a Vida carrega o título da novela mais efadonha de todos os tempos. Com isso fizeram de Passione de Sílvio de Abreu a "salvadora da pátria".

Nair disse...

O que mais me irritava e aliás, sempre me irritou nas obras de Maneco porém nesta foi pior são aqueles diálogos super didáticos com todos a mesa discutindo sobre homens x mulheres.
"Vcs homens....", dai os homens "Vcs mulheres..."
Uma tortura psicológica com o telespectador!

Guitto disse...

Foi de dar vergonha. O Ultimo capitulo que nem parecia ultimo capitulo...

por favor...

Mari disse...

Realmente, VAV foi uma vergonha alheia completa. Tudo ali era caricato e chato demais. Já foi tarde.

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira