terça-feira, 30 de março de 2010

BBB 10: Entretenimento ou Estudo Sociológico?

Quis escrever este texto hoje, no dia da final da 10ª edição do Big Brother Brasil, antes do anúncio do campeão, para que minha opinião não seja, de alguma forma, acusada de ser baseada apenas pelo anúncio de quem venceu o Reality Show, pois essa é minha opinião desde que notei o fenômeno interessante que se tornou o programa.

Desde que Marcelo Dourado - favorito a vencer a competição - posicionou-se no programa, claramente contra relações homossexuais, uma enxurrada de críticas recaíram sobre o participante. ONG's de apoio aos gays, homossexuais assumidos ou não, começaram a criticar severamente Dourado por suas frases infelizes ao longo do programa. Essas pessoas iniciaram então uma Campanha para tentar tirá-lo do programa a todo custo.

Em contrapartida, grupos de pessoas se uniram na internet para apoiar o participante. Intitulada "Máfia Dourada", essas pessoas começaram a votar enlouquecidamente para garantir que Dourado chegasse a final do programa. Por conta disso, o que se viu na mídia e também em sites de relacionamentos, foi uma guerra travada entre gays e simpatizantes versus a tal Máfia Dourada e seus simpatizantes.

A partir deste momento, votar no Big Brother Brasil 10 deixou de ser uma opção de entretenimento. Apoiar algum participante deixou de ser meramente uma escolha por gosto pessoal e passou a ser alvo de "profundas" reflexões sociológicas e até conclusão de caráter por parte de terceiros.

Para os gays, apoiar Marcelo Dourado é apoiar suas atitudes, mais do que isso, é apoiar a homofobia e o preconceito contra não apenas os gays, mas contra todas as minorias do Brasil. Enquanto isso, para a Máfia Dourada, ir contra Dourado significa ser gay enrustido ou, de alguma forma, desejar ser gay.

Pura bobagem. O que era para ser um programa de entretenimento, de repente se transformou em embates filosóficos e sociológicos. O que mais chama a atenção é ver que estes embates não foram feitos no âmbito do senso comum, não, foi muito além. Em páginas de relacionamento viu-se intelectuais debatendo o assunto como se fosse a nova descoberta sociológica do milênio.

Dizer que a propensa vitória de Marcelo Dourado é uma regressão para a sociedade brasileira é um absurdo sem precedentes. Quando os gays ou quem quer que seja afirma que votar em Dourado como campeão é o mesmo que apoiar o preconceito, a perseguição e a homofobia eles estão apelando para uma conclusão mais preconceituosa ainda.

Ora, Big Brother Brasil 10 não é levado a TV para se fazer um estudo comportamental dos brasileiros. Não se pode afirmar como é o comportamento da população se baseando exclusivamente no vencedor de um Reality Show. Se, o brasileiro apóia a homofobia porque Dourado pode vencer o programa, então teremos que chegar a conclusão óbvia que, há cinco anos, o brasileiro apoiava o homossexualismo e todos éramos gays, já que o vencedor Jean Willys, era um homossexual assumido, certo?

Errado. A população vota no Big Brother Brasil 10 por inúmeros motivos e não apenas em virtude de uma causa social. Aliás, tanto gays quanto os homofóbicos enxergam causas sociais em toda e qualquer atitude da população, mas desta vez, tentaram a todo custo transformar um programa de TV num profundo estudo. Espero que não tenham conseguido convencer alguém de tamanha bobagem.


3 Quebraram tudo:

Gabriel Borba disse...

Daniel
Muito oportuno teu post, e não somente por que hoje é a final do BBB, mas por trazer um pouco de luz às cabeças dos "BBBistas".
Já há muito tempo converso com amigos sobre o que a TV está fazendo com as pessoas. Outro dia tu mesmo falaste sobre o blog da personagem da novela das oito, em que as pessoas entram e colocam comentários como se ela fosse uma pessoa de verdade.
Agora, temos o BBB!
Quanta bobagem se falou nestes três meses de programa; quantas crucificações foram feitas: Tessália por que transou na casa (?), Elenita por que é "louca"... só pra citar poucas.
O cavalo de batalha que se criou em cima das declarações do Dourado beirou o ridículo.
Meus comentários no teu blog seguem sempre um padrão, que é o do respeito pela opinião dos outros. Sendo assim, não vou menosprezar quem acha o Dourado homofóbico ou seja lá o quê, mas quero que pensem nas suas próprias atitudes diante do que lhe é estranho.
Criticaram o rapaz por que disse que só gay pega AIDS. Ok, então ele é desinformado, mas não homofóbico.
Disseram que ele não queria chegar perto dos gays da casa, sem levar em conta que ele respeitava o Serginho e que com o DiCesar o problema era de temperamento, e não de sexualidade. Eu pelo menos não vi em nenhum momento ele xingar a drag de qualquer coisa que fosse pejorativa.
Não estou defendendo o gaúcho (embora meu conterrâneo) mas sim a liberdade que todos temos de expressar nossas opiniões. Se ele se passou em algum momento, que responda por isso da maneira correta, mas convenhamos que se isso acontecesse algumas outras pessoas deveriam ir junto com ele, como por exemplo a Elenita, que certa vez disse a ele que se não gostava de gays é por que era enrustido.
Estamos levando muito a sério o que aparece na telinha da TV.
TV e futebol são, hoje, o ópio do povo. E que bom que fosse só isto. Um divertimento.
Infelizmente não é o que vemos, mas sim brigas de torcidas e embates como estes do BBB.
E do outro lado tem muita gente rindo da nossa cara.
Um abraço.
P.S.: fico feliz por estar moderando os comentários. Aliás, eu mesmo tinha sugerido isto um tempo atrás. Este espaço não pode aceitar certos insultos e barbaridades. Mas cuidado com a censura!

Renato Machado disse...

Ótima crítica!
Muito bem escrita e ponderada... Concordo com ela!

João Lucas disse...

Daniel, assim como você que eu sei, acho que seria mais interessante ver na final deste BBB, minhas duas favoritas Téssalia a linda moça que APENAS brincou de ser má, que desde o começo se demonstrou ser uma grande jogadora e que iria jogar pesado, porém, os puritanos de plantão enxergaram em Tess uma ordinária, sem escrúpulos e quase a lincharam, votaram com veemência para eliminar a bela, sinceramente não vi nada de mais nas atitudes de Tess, afinal de contas o BBB não é um jogo, jogo de adulto para adulto, confesso que quando Twitess despediu-se do programa com a maior rejeição deste BBB, acabava ali grande parte do programa.
Elenita a gordinha DOUTORA que de forma inteligente não subiu em um pedestal com o título, se mostrou um ser humano como qualquer um de nós, se mostrou falha, se mostrou briguenta daquelas que não levam desaforos pra casa, se mostrou sábia com papos saudáveis, se mostrou ser UMA MULHER independente de ser doutora ou não.Com a ssída de Lena o jogo se mostrou insuportável a extremamente frágil, parei de assistir no instante em que Bial declarou que Lena estava fora.
Muitos devem estar se perguntando o porque deste comentário, este comentário é uma análise de que aconteceu, pois, sem jogadores interessantes o público enlouqueceu e polarizou o jogo entre duas criaturas, as torcidas fanáticas trocavam ameaças via web, e no final o que se viu foi um jogo de entretenimento que se tornou baixo e perigoso. Acredito que com Elenita e Tess o jogo pegaria fogo e seria sempre lembrado como o JOGO JOGADO.

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira