segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Domingo na TV: Domingão do Faustão

E o blog continua sua saga em busca de analisar os programas que vão ao ar no domingo nas principais emissoras de TV aberta do país. Tarefa que, a princípio, pode parecer simples, mas ao se pensar que tratam-se de programas com muitas horas no ar, o exercício se transforma em algo hercúleo, pois não é fácil manter-se tanto tempo diante da TV - e este é um ponto que deveria ser analisado pelos diretores de tais emissoras.

Neste texto, o alvo da análise é o programa Domingão do Faustão, da Rede Globo. Um programa que tem uma vertente tão grande do elenco estelar da emissora precisaria utilizá-la para conseguir manter-se no ar com a concorrência no dia mais difícil na briga pela audiência. E o Domingão faz isso, ainda que de forma sutil, mas com correção.

A presença de João Maurício e Laisa logo como primeiro quadro da noite foi fundamental para que não houvesse grande migração de telespectadores após o futebol. Essa estratégia da direção do programa, mostra que há uma produção que pensa no todo e entende de televisão. E, na prática, funcionou bem porque Faustão sabe extrair o melhor de seus convidados. Mesmo enfrentando uma pessoa tímida e sem carisma, como João Maurício, toda a entrevista ficou leve e divertida graças ao apresentador. Com Laisa, bem mais a vontade, tudo fluiu ainda melhor. A ideia de levá-la para as ruas, a fim de conversar com o público que a criticava foi ótima e funcionou muito bem. Rendeu ótimos momentos.

O quadro De Cara com a Fera tem uma premissa extraordinária, mas que, ao menos neste domingo, não foi utilizada em sua potencialidade. Apesar das três crianças serem, de fato, feras e a ideia de vê-los desafiando adultos num universo que, teoricamente, os adultos seriam melhores, o quadro mostrou-se arrastado. Talvez não seja o caso de um quadro assim ocorrer no palco, mas ter externas gravadas para dar maior dinâmica e sem perdas de tempos com didatismo. Mas não é um quadro que desperdiça o tempo, precisa apenas de algumas correções.

Se Vira nos 30 impressiona. Um quadro que está no ar há tanto tempo não demonstra nenhum sinal de cansaço ou desgaste. Isso porque a produção o leva a sério e seleciona figuras emblemáticas do cenário nacional. Um quadro assim somente funciona quando os participantes são bizarros, mas vão além disso, conseguem divertir através de suas bizarrices. E é isso que se vê nos 30 segundos de cada apresentação. E com a característica peculiar de Faustão, improvisando o tempo todo, tudo fica ainda melhor.

A atração musical nunca é dispensável. Um programa de auditório dominial, para prender o público precisa ter uma atração musical de peso, pois a música ainda é um dos grandes elementos televisivos de sucesso na mídia. A escolha do programa na semana com a presença da banda Bom Gosto rendeu bons momentos nas entrevista e música que animou a plateia e, consequentemente, a audiência.

As vídeo-cassetadas também impressionam pelo tempo no ar e a falta de desgaste. Um dos pioneiros em mostrar vídeos num programa dominical - estratégia copiada por praticamente todos os programas no ar atualmente - no Domingão funciona porque são vídeos que não foram filmados para se colocar na internet, mas são situações tão verossímeis que é impossível não se divertir.

Se os quadros apresentam bastante qualidade e leveza, Domingão do Faustão ganha muito com o excelente apresentador que tem. Um programa que está no ar no domingo, dia de maior concorrência na TV, há duas décadas e sempre conseguindo se inovar para continuar na disputa - e liderando com relativa folga - depende de um apresentador competente. Fausto Silva é um comunicador nato e improvisa muito bem, mantendo sempre o alto astral e a principal característica de seu programa, que é a naturalidade. Incrível como todas as entrevistas fluem naturalmente quando conduzidas por ele.

O Domingão do Faustão mostra-se uma opção de entretenimento leve, sem nenhuma pretensão, mas que funciona muito bem para toda a família. Olha para a audiência com um olhar de respeito e, consegue reunir a família diante da TV justamente por optar por um público que não busca baixaria e apelação. Uma ótima opção.

3 Quebraram tudo:

ffff disse...

Jezuz quem aguenta o Faustão!! A programação da tv brasileira aos domingos é uma verdadeira tragédia quase nada se salva...

Rodrigo Rocha disse...

O grande problema do programa do Faustão é que ele não tem cara de domingo à tarde. Ele não é um programa alegre, é um programa constrangedor. Não tem graça ver o apresentador xingando a produção ou de puxar o saco de artistas globais. Acho, hoje, que a Globo deveria sim diminuir a duração do Faustão e inserir o esquenta como Fixo em sua grade, só que ao vivo (ou com uma edição menos "pitoresca").

Agora, querido, outro adendo: você notou que o TEASER de Avenida Brasil, a próxima das 21h, tem uma premissa extremamente semelhante à série americana Revenge, que por coincidência, é um sucesso por lá?

Antônio Souza disse...

Desculpa, mas você pegou um dia atípico do Domingão do Faustão.

De fato o programa ontem estava bom, principalmente por conta da participação dos BBBs, que foi descontraída e bacana. Mas, de um modo geral, o Domingão é ruim, fraco, monótono, repetitivo. Não inova, e quando inova, é com, quadros fracos.

Faustão é mesmo um grande apresentador, tanto que está no ar há muito tempo. Mas some diante de um conteúdo apagado e sem graça que não consegue fidelizar a audiência do programa: numa semana está bem, e na outra está mal, disputando ponto a ponto com um programa pior ainda.

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira