sábado, 18 de fevereiro de 2012

Do que o Telespectador Brasileiro gosta?

Escrever uma crítica tendo este título é das tarefas mais árduas. Certamente, para tentar encontrar uma resposta aceitável seriam necessários anos de pesquisa científica e, provavelmente, encontraria-se, sérios problemas dada a dinâmica do telespectador mediano da TV brasileira. Atualmente, é uma tarefa hercúlea para os diretores de programação encontrar produtos que se encaixem ao perfil do público e, mesmo quando isso ocorre, as chances de rejeição não são baixas.

Numa análise simplória, poderia-se dizer que o telespectador brasileiro, com a imersão da classe C, piorou bastante nos últimos anos. Basta notar que a novela de maior sucesso da última década foi Senhora do Destino, uma trama extremamente popular, mas sem grandes valores criativos. Atualmente, dois fenômenos justificariam essa crença. Fina Estampa - por coincidência, escrita por Aguinaldo Silva que também escreveu Senhora do Destino - e Rei Davi são dois claros sucessos de audiência, cada qual em sua emissora e com sua respectiva meta de números. Outra coincidência é que ambas não acrescentam absolutamente nada para a teledramaturgia, é apenas a reciclagem dos mesmos clichês e das mesmas construções maniqueístas, além de entregar tudo mastigado para um telespectador preguiçoso.

Ao basear-se nos dois sucessos do momento e enxergar que uma trama bem amarrada, muito bem construída e que foge de todo tipo de obviedade feito A Vida da Gente, é um fracasso retumbante de audiência, a conclusão óbvia e simplória é: o público brasileiro gosta de lugar-comum na teledramaturgia, gosta de tudo pronta e de mais do mesmo.

Será? O sucesso de público e crítica de Cordel Encantado mostra que essa afirmação não é totalmente verdadeira. Uma construção sólida, sóbria e que uniu diversos elementos de teledramaturgia que pareciam incombináveis fez sucesso diante do público e mostrou que o telespectador gosta de produtos com qualidade.

Mas como justificar os recentes trabalhos de grande qualidade e que não tiveram o resultado esperado? Foi assim com a série O Brado Retumbante e, um pouco mais atrás, com a novela Poder Paralelo. Difícil responder esta pergunta, mas, aparentemente, o público brasileiro se interessa ou não por uma obra desde a estreia. Se, no começo, ela já for um fracasso, as chances de reverter isso são pequenas - mas não impossível.

De qualquer forma, a pergunta-título acaba ficando retórica porque atualmente é impossível entender a mente do telespectador brasileiro. A única certeza é que o autor precisa fazer com o que o público compre sua história porque, quando o telespectador acredita que o que está vendo diante da TV é verdade, é algo próximo de si, ele compra a história e se torna fiel. Parece ser o único caminho possível e, o único palpável atualmente.

4 Quebraram tudo:

Paulo Jr. disse...

Complicado. Mas Poder Paralelo foi muito prejudicada pela Record com as mudanças de horário.
E eu discordo da sua opinião quanto a Senhora do Destino (na verdade nunca vi ninguém que tivesse essa sua opinião).

O Brado Retumbante foi atrapalhada um pouco pelo horário tardio. E Cordel Encantado foi ajudada pelo fato de que não só tinha qualidade como falava de coisas que interessam ao público brasileiro, como romance. Tinha qualidade, mas era fácil de entender.

Cristiano Matheus disse...

Olá...
Sou @cricando no Twitter

Senhora do Destino foi de Nazaré, assim como Fina Estampa é do Crô e de Tereza Cristina... essa é a Máxima do Aguinaldo Silva. Ele sabe que para o Publico comprar uma história, um personagem. Esse personagem nem sempre é o Mocinho, mas sim... o Bandido!!! Pois quem não gosta de falar mal dos Outros???

As pessoas gostam de pôr a culpa de suas 'desgraças' nos outros. E precisam de um bode espiatório, como o patrão, o vizinho, ou um colega de Trabalho, enfim... Precisam de um vilão para se Justificar!

A vida da Gente tem um grande mote. Mas ver duas irmãs boas brigando por algo, sendo que as duas tem certa razão!? Não será comprado pelo grande publico porque se fosse assim, os programas no Estilo Oprah como Márcia Goldsmith, seriam Líderes de Audiência...

Entretanto, a autora Lícia Manzo conquistou prestígio, pois delimitou um publico cansado de mesmice e Tatibitati... E está qualificada para assumir um Horário das 21hs!!!

Até mais...

Paulo Jr. disse...

Sim, Lícia Manzo está qualificada para assumir o horário das 21hs, e deveria. Manoel Carlos e Glória Perez, depois de tantas novelas ruins, deveriam ter sido expulsos do horário. Outra que merece é a Andrea Maltarolli. E o Walcyr Carrasco, muito próximo de conseguir, não merece.

SBT disse...

Andrea Maltarolliso se for através de um mediun pois morreu em 2009

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira