quinta-feira, 18 de novembro de 2010

As Cariocas 1x05: "A Internauta da Mangueira"

"Ele pediu pra ela não trabalhar fora. Só trabalhar dentro"

As Cariocas segue mostrando uma peculiaridade interessante e que não me lembro de já ter visto na TV brasileira. Apesar de, a cada episódio, sermos apresentados a um grupo novo de personagens com características e vivências próprias, o que chama a atenção fundamentalmente do público é a mesma seqüência narrativa e o foco mantido.

Para uma série conseguir ser construída dentro de várias histórias e manter-se como única, é necessário muita habilidade no roteiro e também na direção, pois o telespectador pode acabar enxergando várias histórias soltas e sem nenhuma ligação. Não é o caso de As Cariocas que tem um padrão único e uma deliciosa forma de se narrar.

A Internauta da Mangueira, contudo, deu a primeira vista a impressão que teríamos novamente um episódio cheio de equívocos, como foi o anterior A Invejosa de Ipanema, pior da série até então. O quinto episódio começou mal, com um primeiro bloco completamente estranho, apresentação corrida da protagonista, Gleicy, uma esposa feliz com o casamento e que faz questão de se mostrar fiel ao marido, porém, o trai virtualmente acessando a internet.

A despeito do primeiro bloco em que as personagens foram muito mal apresentadas, o episódio teve um saldo positivo. Apesar da quase nenhuma exploração aprofundada dos sentimentos, das características das personagens, a agilidade foi um ponto positivo porque contribuiu para mostrar que o desespero, a pressa, faz as pessoas cometerem erros sem pensar.

Cíntia Rosa bem que tentou segurar a bronca da personagem, mas ela não tem, nem de longe, o mesmo talento de suas companheiras que já protagonizaram outras histórias e acabou passando desapercebida diante do talento inequívoco de Du Moscovis, de volta a TV após alguns anos. Du encarnou muito bem o marido devoto, apaixonado e extremamente feliz por ter sido escolhido por um "avião". Além do que, ele esteve ótimo na pele do flamenguista fanático e marido maluco que decide matar a esposa infiel dentro do Maracanã após comemorar o Hexa do Flamengo.

O final da história, com o marido arrependido e decidindo perdoar a esposa, afinal, ela não o traiu de fato, apenas virtualmente, foi absolutamente clichê, mas muito bem conduzida e situada pelo ótimo narrador da história que continua com grandes frases. O episódio ficou abaixo dos três primeiros, mas conseguiu retirar do público a péssima impressão que o quarto episódio havia deixado. Esperemos os próximos.

4 Quebraram tudo:

Alexandre disse...

Eu já achei esse último episódio o pior de todos.
O foco esteve totalmente centrado no Eduardo Moscovis, e 'A Carioca' da vez não teve muito destaque.
Sobre o episódio da semana que vem, não espero muita coisa também... Sônia Braga... sei não. =/

Guilherme disse...

Bom, concordo em gênero, número e grau com o que foi dito acima! Esse episódio ficou bem abaixo dos três primeiros, porém conseguiu retomar os 19 pontos na audiência, que no episódio passado chegou aos 14!

Equipe Close (to) Paola disse...

E aqueles personagens periféricos, o ex-namorado (André Gonçalves) e a irmã (Preta Gil)? Ou foi encheção de linguiça ou não sei dizer qual foi a deles.

Para mim, em 'A Atormentada' todos os personagens apareceram na medida certa. A mãe foi bem explorada, o ex-marido apareceu o que divia etc.

Tarcísio disse...

Até agora, todos os episódios corresponderam, na minha modesta opinião. É evidente que alguns episódios agradam mais do que outros, mas gostei de todos, embora o episódio da Adriana Esteves tenha sido o melhor da temporada até aqui.

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira