sexta-feira, 27 de novembro de 2009

A Fazenda é melhor e mais sem graça


Em praticamente duas semanas de exibição já se pode fazer algumas constatações acerca de A Fazenda 2. Algumas dessas constatações são absolutamente positivas e muito interessantes, outras infelizmente revelam fragilidade do Reality e também da emissora.

Um dos pontos altos da nova edição de A Fazenda se dá no fato de que a equipe técnica está muito mais preparada para conduzir toda aquela estrutura gigantesca. A forma como os participantes são filmados, o som dos microfones e a distribuição do local estão muito mais práticos, ágeis e, por conseqüência, melhores para que o público possa acompanhar tudo.

O roteiro também está muito ágil. Sim, engana-se quem pensa que não há um roteiro para programas com estilo Reality Show, é evidente que é necessário seguir um roteiro para que não haja confusão. Os jogos criados pela produção são um bom exemplo de como a direção aprendeu a dominar o jeito do programa.

Outro ponto positivo se dá na própria Rede Record. A emissora aparentemente está aprendendo com seus erros e não tem explorado constantemente o Reality até que toda a programação fique desgastada como aconteceu na primeira edição. A exploração tem sido muito parecido com o que a Globo faz durante o Big Brother e este é o correto, pois não cansa o telespectador. Vamos ver se a emissora vai saber lidar com isso, se o programa esquentar entre os participantes lá dentro.

Mas A Fazenda tem um problema e um grave problema. Ela não engrenou e já se foram 10 dias. A emissora parece ter escolhido a dedo cada um dos participantes na intenção de que o programa fosse ainda mais interessante que o primeiro, mas aparentemente isso não aconteceu. Não há mais o mesmo clima de harmonia da primeira semana entre os participantes, isso é visível, porém, cada um dos participantes está mostrando ser muito bem educado e saber cuidar de sua imagem junto ao telespectador como ninguém.

Isso pode ser muito bom para eles que não serão vistos aqui fora como mal educados, provocadores, chatos e até intragáveis, como muitos de A Fazenda 1 foram chamados, porém, o público começa a perder o interesse por um Reality em que até para discutir as pessoas são de uma educação britânica. Isso fica muito, muito chato. O resultado é que a audiência segue em queda dia após dia. No segundo domingo houve uma queda considerável de audiência, e durante a semana o Reality vem sofrendo para conseguir empatar com Sobrenatural, do SBT. É melhor a direção de A Fazenda fazer algo e mandar a educação dos participantes embora, se quiserem que o programa engrene. Do contrário, teremos mesmo um programa bucólico.

3 Quebraram tudo:

Gabriel Borba disse...

Daniel
Concordo contigo, e fico triste em saber que estamos todos esperando que o pessoal "desça do salto" para que possamos nos divertir.
Assisti ontem uma conversa entre o Segatti e o Cotrim que poderia ser uma aula de boas maneiras do Fábio Arruda (embora ele mesmo não seria tão bom), tamanha era a quantidade de confete que um jogou no outro.
Só mais uma coisa: bastou tu elogiares o Gorgulho e mataram ele em Poder Paralelo. Que boca heim?
Um abraço.

Daniel César disse...

Ah, eu quase tive um acesso depressivo com a morte do Santana, um dos melhores personagens da novela :( mas pra trama era mesmo necessária a morte dele. Pena, mas o Gorgulho cumpriu muito bem seu papel.

Anônimo disse...

Eu odeio a fazenda,big brother...esse tipo de programa é rídiculo...fico me perguntando,como milhoes de pessoas ficam na frente da tv assistindo esses programas q só é uma coisa:colocar mulheres gostosonas e homens saradoes..para depois sair na playboy...sei la mais em q...
Programas q nao nos ensinam naaaddaaaaaa!!!!Dá até raiva de comentar....rsrsrs
O povo precisa ser mais inteligente p esse pais progredirrrr!!!!
Socoorroooo...rsrsrsrs
Vamos pensar gente...nos interessar por assuntos inteligentes!!!!!

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira