terça-feira, 27 de novembro de 2012

Alessandra Negrini erra a mão em Lado a Lado

Como se sabe, eu não sou dos fãs mais entusiastas da atual novela das 18 Horas. Já falei repetida vezes dos diversos problemas que atrapalham a audiência de Lado e Lado e também acaba por ser uma produção toda equivocada. Porém, é de se mencionar a qualidade de elenco que conseguiu se reunir para trabalhar numa obra assim. É possível destacar diversos nomes - como Marjorie Estiano, Patrícia Pilar, Camila Pitanga, Thiago Fragoso e Lázaro Ramos - o cast da obra é, num geral, bom. Entre os nomes de peso aparece uma exceção: Alessandra Negrini.

A atriz é experiente e dona de um talento indiscutível. Sua última participação fixa numa novela havia sido em Paraíso Tropical quando ela assumiu a vaga de protagonista e vilã interpretando as gêmeas Paula e Taís, em substituindo Cláudia Abreu que já havia sido escalada para o papel, mas declinou por conta de uma gravidez. Já na trama de Gilberto Braga e Ricardo Linhares a atriz não conseguiu o desempenho esperado, recebendo alguns elogios ao interpretar a vilã, mas sendo criticada pela mocinha.

Agora, cinco anos depois, Negrini retornou com uma personagem fixa em nova vilã - repetindo o que Patrícia Pilar fez, ao interpretar duas vilãs seguidas com Flora e Constância - e a composição de sua Catarina vem deixando bastante a desejar, destoando da qualidade do restante do elenco, principalmente se a comparação for em relação aos nomes de peso do folhetim.

Seria um equívoco colocar em pauta a capacidade de composição da atriz. Experiente, ela já se provou como grande profissional e não necessita passar pelo crivo de ninguém. Tem em seu currículo excelentes trabalhos como em A Muralha, JK e Desejos de Mulher com personagens que falam por si só. Mas é fato inegável que, em Lado a Lado, ela errou a mão.

Catarina não é necessariamente uma personagem simples de ser interpretada. É uma vilã, mas está longe de ser a principal força do mal que movimenta a trama. A personagem entrou no folhetim com a exclusiva função de criar conflito no casal de protagonista Edgar (Thiago Fragoso) e Laura (Marjorie Estiano). Dissimulada, Catarina precisa se mostrar uma mulher de atrativos, boa mãe e com ótima índole, pois quer reconquistar Edgar, todavia, mostra seu lado verdadeiro quando ele não está próximo. 

Alguns tons acima do que necessita, Negrini fez da personagem uma caricatura duma vilã clássica. Enquanto Constância se mostra uma mulher sem escrúpulos, mas inteiramente real, graças ao ótimo trabalho de Patrícia Pilar, Catarina não transmite nenhuma verdade. Ao contrário, suas ameaças, seus olhares maquiavélicos e suas juras de vingança contra Laura acabam soando muito mais como fonte de comédia do que propriamente ato de vilania.

É bem verdade que o texto não ajuda, mas o texto é complicado para o restante do elenco que tem feito um trabalho muito bom. Ocorre que Alessandra Negrini decidiu conduzir sua personagem de forma teatral - talvez pensando numa metáfora pelo fato de Catarina ser uma artista - e acabou ficando completamente fora de sintonia com o que se vê dos outros personagens. Desde a empostação vocal até a expressão facial, tudo é exagerado demais.

A impressão que se dá a cada momento em que Catarina entra em cena é que Alessandra Negrini não confia na didática do texto. Aparentemente a atriz precisa utilizar elementos primários de interpretação para se mostrar enquanto vilã. O texto não é suficiente para indicar o quanto ela é má, são necessários trejeitos exagerados, placas de aviso "sou má" estão estampadas no rosto da atriz em todas as cenas. Ela é uma boa atriz, mas dessa vez, Alessandra Negrini errou.

11 Quebraram tudo:

Thallys Bruno disse...

Respeito tua opinião, Daniel, mas discordo de absolutamente tudo.

Primeiro, ela não recebeu apenas "alguns" elogios pela vilã. A personagem Taís fez sucesso sim. Mais que Paula (a mesma Negrini) e menos que Bebel (Camila Pitanga), é óbvio, mas fez sucesso também.

Segundo, "dizer que o texto não ajuda" pra mim não procede. O texto dessa novela continua de alto nível, digno dos mais variados elogios.

Terceiro, não vejo nenhum tom de comédia em Catarina, e sim uma mulher possessiva cujas ameaças passam sim verdade e faz muita gente odiar Catarina.

Então, não tenho o menor problema em dizer que discordo totalmente de tudo o que foi escrito.

GustavoGM disse...

Concordo com vc. Desde que a Catarina entrou na novela eu noto um exagero na composição da personagem. A Alessandra Negrine está muito caricata. Só discordo com vc em relação ao texto, que acho ótimo.

Um dos problemas da novela e que tb é uma das fontes de sua qualidade, é a supervisão do Gilberto Braga. A novela está muito lenta, com poucos acontecimentos. O JEC seria mais adequado para treinar os novos autores, como ele fez com as autoras de Cama de Gato.

Cíntia Nogueira (cintiana2) disse...

Olha adoro a novela, e acho o texto muito bom, pelo contrário é dos fatores que eu gosto de ver, é esse texto e falas deliciosa, nem tanto de época nem tanto coloquial, com um vocabulário não tão complicado mas rico, não acho um equívoco na medida em que ela me fez voltar a ver novelas(de ver todos os dias mesmo) desde Paraíso Tropical. Concordo que a Catarina não é a melhor vilã da trama. Mas gosto dela, acho seu tom de certa forma divertido e cínico, o que é a personalidade da personagem.

Sérgio Santos disse...

Daniel, a Alessandra esteve genial em Paraíso Tropical tanto como vilã quanto como mocinha, quanto como vilã que se finge de mocinha e vice-versa. A acho, sim, exagerada em Lado a Lado, mas longe de ser péssima. Acredito que ela achou que Catarina necessitava de um certo exagero, mas errou no tom. Porém, gostei de seu retorno à tv e discordo totalmente quando você diz que o texto não ajuda, o texto é ótimo.

Leonardo de Andrade disse...

Concordo em tudo com a Thallys Bruno. E preciso mesmo reforçar o que todo mundo já disse: acho o texto dessa novela uma delícia.

@aletv2 disse...

Fiquei curioso para vê-la em cena como essa Catarina, pois pelo teu texto temos uma grande atriz errando feio na composição de uma vilã. Já li muita gente elogiando Lado a Lado, mas concordo com os teus textos que o estilo adotado não é pra bater meta de ibope (uma pena, pois parece que tem qualidade). Depois de oi oi oi, o povo quer agilidade (rs). O problema é que, também, não se pode igualar tudo e permanecer, apenas, um estilo (até porque os autores são tão diferentes né?).

Jurandir Dalcin disse...

A verdade é que concordo com você. Eu que sempre fui fã da atriz, desde Desejos de Mulher, estou decepcionado com a sua atuação em Lado a Lado, uma pena!

JDComenta - jurandirdalcincomenta.blogspot.com.br

Vésper disse...

Alessandra Negrini em Lado a Lado: não transmite verdade, nenhuma, soa falso tanto em gestos como na voz, enfim, uma falsa vilâ, não convence. Pode ter trabalhado bem antes, mas nesta novela, está ruinzinha demais.

BLOG da KELEN disse...

Amei os comentários, acho Lado a Lado deliciosa de assistir, principalmente pelo texto.

Paulo Jr. disse...

Discordo muito do seu texto. E estranho isso, já que costumo concordar. Acho a composição da Alessandra genial, ela fez uma vilã má, que sabe que é má e não se incomoda. E eu vejo isso na interpretação dela. E o texto é ótimo, você deve ter alguma birra com algum elemento da novela, só pode. Mas é coisa pessoal sua.

mani67 disse...

Sempre achei a Negrini forçada em seus papéis,nunca é convincente em cena nenhuma,péssima atriz que muitos conseguem achar boa.Cheia de caras bocas e trejeitos corporais,tom de voz falso só acho ela bonita nada mais.

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira