sexta-feira, 25 de novembro de 2011

O Pior Aprendiz de todos os tempos

Esperei alguns episódios da atual edição de O Aprendiz serem exibidos a fim de publicar esta crítica. Confesso que, no início da semana, ao conversar com um leitor sobre o tema, eu ainda estava um tanto quanto receoso sobre o caminho a seguir neste texto, por isso, decidi olhar mais um pouco para a produção tentando ser menos crítico, mas não é possível.

É preciso entender que este blog sempre foi fã do formato e, desde a primeira edição, ainda sob o comando de Roberto Justus, me tornei fã de carteirinha do programa sem perder um único episódio das três primeiras edições. Se no ano passado, primeira temporada com o comando de João Dória Jr, o programa sofreu bastante pela falta de pulso, rumo e de encontrar uma nova identidade, na atual edição tudo isso está sobrando, o que poderia ser um elogio, mas não é.

Uma edição muito mais carregada, impulsiva e com cortes diferentes vem dando o tom da atual temporada. O público não vê traços do João Dória Jr. inseguro que foi visto em 2010, antes, em praticamente todas as salas de reuniões ele distribui patadas a seu bel-prazer, provocando e incitando todo tipo de polêmicos junto aos participantes.

Toda essa carga emocional, tantas polêmicas e inúmeras polêmicas poderiam ser a chave para o sucesso da atual temporada, porém, elas são as responsáveis pelo imenso fracasso registrado não apenas nos números de audiência, mas principalmente na repercussão. Tudo porque, evidente, o público não engoliu tudo isso de forma tão rápida, essa mudança brusca de postura não transmitiu verdade e todos resolveram ignorar.

Também, pudera. Um dos Realities mais inteligentes da TV aberta nacional que sempre teve um público muito mais reflexivo e detalhista se lançou de corpo e alma para uma edição perigosa, transformando os participantes em personagens típicos de folhetins, lançando mão do maniqueísmo com vilões e mocinhos, criando polêmicas inexistentes e esforçando-se para focar mais nas confusões que no trabalho propriamente dito.

João Dória não consegue transmitir a verdade que sua postura tenta mostrar. Espelhando-se num chefe duro, de pulso firme das mais mexicanas novelas, ele erra completamente ao vislumbrar frases de efeitos e tocar em problemas de relacionamento do grupo ao invés de mostrar-se o profissional qualificado para enxergar novos talentos empreendedores. Um desperdício de tempo.

Transformar O Aprendiz em novela foi um erro sem precedentes da Record que apostou num público mais popular, mas errou a mão e perdeu o telespectador mais fiel do Reality e, agora, certamente, não vai conseguir recuperá-lo.

6 Quebraram tudo:

Rodrigo Rocha disse...

Eu acredito que o maior erro dessa edição do aprendiz é que os próprios Administradores, digamos assim, perderam o prumo de conceitos básicos dentro das teorias administrativas atuais: a diferença entre LÍDER e CHEFE; A diferença entre LIDERANÇA e ORDEM; A diferença entre AUTORIDADE e AUTORITARISMO.
Eu, pelo menos, não me contento em ver um apresentador distribuir aquele tipo de tratamento aos participantes. É repugnante. É constrangedor. Ele cruzou a linha tênue entre julgamento e avaliação e passou para assédio moral. Não duvido que metade dos participantes, a não ser que exista uma clausula no contrato que proíba de tal, processe a Record.
é ridículo perceber que, dessa maneira, João Dória só assina o atestado de que não tem competência para se equiparar ao Justus na apresentação do programa: na falta de talento para avaliar, ele usou falta de educação e baixaria.

Alexandre disse...

so não deixo de assistir ao programa, pq é meu reality preferido, mas realmente essa edição está lamentável. João, Carla, Forner.. todos repetitivos, cansativos. Saudades de uma sala de reunião em que os Aprendizes iam para se defenderem, para mostrarem o que neles era melhor que nos outros e não ficar só de ataque barato e inútil..

Marlon Kraupp disse...

Nossa, concordo com tudo que o Rodrigo Rocha comentou !

O João Dória que na outra edição tava todo querido, nessa, ao em vez de firme nas decisões, ele esta sendo totalmente mal educado e deselegante.

O Brilho de O Aprendiz diminuiu com a saida do Justus, e com toda a certeza, acabou de vez nessa temporada.

Em momentos, eu confundo o programa com o Casos de Familia, por que a baixaria rola solta.

Só a uma salvação para O Aprendiz, a volta do Roberto Justus,e, um tempo na geladeira, um ou talvez dois anos sem ser exibido e depois voltar.

Do jeito que tá, esta simplesmente inassistível.

ffff disse...

A Carla tb parece ser péssima. Vi nesses dias um pedaço do programa, eles já estavam na sala de reuniões, e ela me pareceu ser muito forçada, tentando ser a carrasca do programa.

tati disse...

Concordo com todos os comentários!!

Vai para o concorrente!!! essa frase já cansou né! , adorava o formato do programa quando era com o Justos, o programa está muito rápido, não dão ênfase nas provas que são sempre as mesmas em todos os programas!! rsrsrsrsr mas dão ênfase na sala de reunião que virou uma feira livre com ridículas discussões!! Péssima essa edição!!

Plainview disse...

Deveriam realmente deixar o programa no congelador por um ano ou dois, até sair o gosto amargo que ficou das temporadas do Sr. João Dória. E depois trazer de volta, no formato inteligente que nós gostamos, e com Roberto Justus (e Walter Longo, claro) no comando novamente. Posso estar errando feio, mas acho que é essa a intenção da Record.

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira