quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Passione comete muitos erros

É injusto afirmar que Passione é uma novela ruim. Não é. A trama de Sílvio de Abreu é infinitamente superior às suas antecessoras - Viver a Vida e Caminho das Índias - mas ainda assim é, de longe, a pior novela do novelista, um dos mais consagrados e badalados do país. Tudo porque há inúmeros equívocos que atrapalham o bom andamento do folhetim.

Um dos principais problemas da novela poderia ser chamado de "esquisofrenia em grande escala". É impressionante como, em tão pouco tempo, personagens tiveram suas características, personalidades e caráter completamente modificados. No início, a principal vilã era Clara (Mariana Ximenez), hoje, a moça é tida como a mocinha sofredora que batalha para conseguir a guarda da irmã. Melina (Mayana Moura) que já foi tida pelo público como a preferida para fazer par romântico com Mauro (Rodrigo Lombardi), agora se transformou numa típica vilã de armações, cinismo e frases de efeito contra a verdadeira mocinha, Diana (Carolina Dieckman).

A família Gouveia que já era estranha por natureza, agora ficou pior. O filho vilão e capaz de matar o pai, como a própria família suspeitava, Saulo (Werner Schunemann) foi assassinado. A filha mais próxima e carinhosa, Melina, casou-se com o principal vilão, Fred (Reynaldo Gianecchinni) e, o filho mais problemático, Gérson (Marcelo Antony) é hoje o mais normal, inclusive sem olhar seu "segredo" no computador há muitos capítulos.

Que trama resiste a tamanhas mudanças de personalidade de seu núcleo principal? Como se não bastasse a isso, Sílvio de Abreu ambiente Passione em São Paulo tratando a metrópole como uma vila de mil habitantes. Veja. Estela (Maitê Proença) se envolveu com Agnelo (Daniel de Oliveira) que se envolveu com Lorena (Tammy di Calafiori). Por coincidência, Agnelo é filho de Totó (Tony Ramos) que é filho de Bete Gouveia (Fernanda Montenegro) que é sogra de Estela. Ou seja, além de, numa cidade como São Paulo, Agnelo, sem querer, se envolver com mãe e filha, ele se envolveu com a prima e a "tia". Surpreso? Tem mais. Fátima (Bianca Bin) namora Sinval (Kayky Brito), um dos Gouveia, e ela descobre que é filha de Gérson, outro Gouveia, ou seja? São primos. Mas tem mais. A mãe de Fátima, Felícia (Larissa Maciel) namora Totó, outro Gouveia, e irmão de Gérson, ou seja, Totó pode ser tio e padrasto de Fátima. Tudo coincidência, ninguém sabia de parentesco nenhum ao se envolver.

Com tamanhas coincidências, com tamanhas mudanças nos focos dos personagens, é impossível que Sívlio de Abreu faça com que seu telespectador se mantenha minimamente fiel a trama. Mesmo com um excelente texto, mesmo com cenas e situações muito bem criadas - principalmente nos núcleos de humor, diga-se - e mesmo com Fernanda Montenegro em grande momento, como vimos no capítulo de ontem, nada é capaz de segurar a audiência de uma novela com tantos erros.

13 Quebraram tudo:

Guilherme disse...

A novela é ótima, considero até uma das melhores da década, apesar de como você mesmo disse tem muitos erros.

Quase Anjos disse...

Passione é superior a A Favorita.

Chrystian disse...

Olá, Daniel! Adoro as suas críticas, sempre bem elaboradas e com argumentos consistentes. Este seu post não fugiu à regra. Mas não concordo totalmente com você. "Passione" é muito boa, e é justamente essa "esquizofrenia" comportamental das personagens que torna a trama bem construída e sem os maniqueísmos recorrentes em telenovelas. A premissa da trama, desde o início, é apresentar personagens que, tomados pela paixão e muito pouco pela razão, agem sem terem contorno de caráter tão bem definidos, como se qualquer um pudesse ser mocinho ou vilão. Isso foi se acentuando com o decorrer da novela. A novela não chegou ao fim e, portanto, não sabemos para qual lado os personagens irão, até porque existe um assassinato a ser revelado. Passione tem equívocos, concordo com isso. Mas mostra o desequilíbrio da essência humana, o quanto de esquizofrênicos todos temos, a loucura que toma conta dos nossos atos. É uma genialidade de Silvio de Abreu. Nada é definitivo. Não considero que esse seja o motivo da audiência não tão satisfatória.
Sou obrigado, no entanto, a concordar com o equívoco de inter-relacionar todos os personagens. Pareceu artificial. Um truque dramatúrgico recorrente de Silvio, o de inter-relação dos núcleos, mas que ele pesou a mão nessa novela.
Fora isso, as histórias do núcleo de humor são absolutamente geniais, como você apontou. Temos Fernanda Montenegro em uma personagem maravilhosa... Há uma mistura de clichês dos mais absurdos (como os enfoques propositais nos suspeitos da morte de Saulo) e, na mesma medida, a fuga deles (essa "esquizofrenia" emocional pela qual todos os personagens são submetidos).
Passione parece-me, assim, uma novela muito boa, com equívocos, mas muitos acertos. Considero-a do mesmo nível de "Paraíso Tropical". Com toques deliciosos de humor; um suspense lugar-comum, e mesmo assim muito atraente pela assinatura do gênio Silvio; romances açucarados e irritantes para o telespectador mais exigente; grandes atuações; revelações; e atores conseguindo, depois de muito tempo, papéis dignos de seu talento, "Passione", "esquizofrênica", está acima da média e merece ser assistida. Palmas para Silvio de Abreu que, mesmo não fazendo uma trama ao nível de Belíssima e outras mais antigas, conseguiu escrever um texto respeitável e resgatar a magia do folhetim bem conduzido.

Tarcísio disse...

Mais do que isso, Passione tem erros grotescos e primários. Sou fã do Silvio de Abreu, mas essa novela foi a grande decepção da dramaturgia de 2010. De longe, considero que Passione só não é pior do que Esperança e Viver a vida, das novelas da década. Caminho das Índias não era nenhum novelão, mas tinha uma ou outra história envolvente, algo que a atual novela das 8 nem de longe tem. É uma pena, pois desde A favorita, as novelas do principal horário da Globo estão decepcionando. Espero que Insensato coração não siga esse mesmo rumo.

BLOG da KELEN disse...

Já imaginou a ceia de Natal na casa dos Gouveia?!?
Eita confusão!!!!!
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Nair disse...

Passione superior que A Favorita??!!!??
Meu Deus, tudo bem, cada um tem sua opinião, mas existe cada absurdo que nem digo nada. Ta pra nascer o autor que vai ter peito e cabeça para superar o que parece ser insuperável, uma novela melhor que A Favorita.

cristian-monteiro disse...

Acho 'Passione' uma boa novela, com bons núcleos, uma grande protagonista, boas interpretações...Cheia de erros sim, mas superior as ultimas no horário, Silvio realmente pesou a mão nas "relações familiares"

Quanto ao "'Passione' superior à 'A Favorita'', a pontos e pontos, A trama de João Emanuel perde no quesito trama paralela (que convenhamos, só brilhou ali a de Lilia Cabral, muito pelo talento da atriz), 'Passione' é mais bem estruturada, porem 'A Favorita' foi mais envolvente, e ao contrario de alguns não acho difícil da novela da Donatela e Flora ser superada, o complicado seria superar 'Vale Tudo', rs.

Tarcísio disse...

A favorita foi um novelão e uma das melhores de todos os tempos, mas também tinha grandes erros, como as histórias paralelas, que eram péssimas. A novela foi ótima, mas particularmente, considero outras como Celebridade, Senhora do destino, Belíssima, O clone e América, melhores que a trama de João Emanuel Carneiro.

D. disse...

Oi Daniel, gostava muito de Passione no início mas ultimamente... Excesso de coincidências, como você mesmo disse... Mas o que mais me incomoda é essa questão de quem matou quem... É uma estratégia tão batida, chata, cansa demais... A Melina e seus planos são muito insonsos... E o personagem do Tony Ramos é insuportável com esse amor pela Mariana Ximenes, ninguém critica pq é Tony Ramos, mas é muito muito chato mesmo! Gostava da novela do início e torco para que acabe logo! Só Ti Ti Ti salva! Abraços!

Fake disse...

Vale tudo é passado, realmente não foi e também acho difícil de ser superada. Tanto que já são 20 anos sendo um mito da Tv brasileira. E do jeito que anda a criatividade dos autores e o "engessamento" das coisas para tudo ser "politicamente correto", Vale Tudo, A Favorita, e algumas outras vão ficando na história, quase que insuperáveis.

Paulo Jr. disse...

Eu achei bacana. Os temas de Passione foram, mesmo, Clara x Fred com os bonzinhos no meio, tudo girar em torno de Bete e a disfuncionalidade da família Gouveia, dada a maneira como os filhos foram criados.

Agora Passione é muito superior a Belíssima, principalmente em relação à revelação de seus mistérios.

Paulo Jr. disse...

Também são bacanas as relações familiares de parentesco complicadas que a trama tem.

Paulo Jr. disse...

Ah, e Passione não tem protagonista, o que é legal. Praticamente, os dois vilões são os protagonistaas.

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira