sábado, 2 de outubro de 2010

As 10 Melhores Séries ou Minisséries da Década

Vamos continuar nossa saga elegendo os Melhores da Década, tradicional lista que já é o Grande Sucesso do Blog em 2010. Para esta semana preparamos um tema interessante, as 10 Melhores Séries ou Minisséries da Década, produto que vem crescendo no Mercado brasileiro, graças ao interesse do público que aumentou conforme as séries americanas passaram a ser importadas. Vamos a nossa lista exclusivamente com produtos nacionais.

10 - Tudo Novo de Novo - Rede Globo

Uma das séries mais fofas que a emissora carioca já produziu. Investindo no formato americano, a série foi a primeira dramédia da TV brasileira e muito bem construída graças a um roteiro sólido e histórias muito bem amarradas que permitiam ao telespectador captar muito bem as mensagens enviadas quase sempre de forma implícita ou metafórica por parte dos produtores. Mais do que um bom roteiro, Tudo Novo de Novo contava com um elenco muito bem afinado e que permitiam ao telespectador a compreensão exata de todas as dificuldades, sofrimento e também piadas que ocorriam ao longo de cada episódio. Uma pena ter durado uma temporada só, muito disso graças a péssima escolha da Globo que jogou a série para a noite de sexta-feira.

9 - Mad Maria - Rede Globo

Produção impecável, retrato histórico impressionantemente fiel e uma série divina. Essa definição mostra o quanto a série foi boa e proveitosa como arte no melhor sentido da palavra. Um dos últimos trabalhos bem sucedidos de Benedito Ruy Barbosa, o primeiro grande destaque da produção estava na fotografia, um grande avanço quando foi ao ar. O roteiro, tradicional, manteve-se fiel no que foi possível a história e conseguiu utilizar a licença poética sem estragar tudo que conhecíamos. A população brasileira merecia conhecer a história da ferrofia e todas as dificuldades e corrupções para construí-la. O elenco esteve impecável durante todo o tempo e foi uma das poucas vezes que vimos reunidos monstros da TV como Antônio Fagundes, Tony Ramos e Juca de Oliveira.

8 - Os Normais - Rede Globo

A melhor Sitcom que a Globo já produziu e com anos-luz de vantagem a qualquer outra produção. A história de Rui e Vani, noivos que viviam como marido e mulher mas que sequer cogitavam a hipótese de casamento, tomou conta do Brasil e virou febre nacional em pouco tempo. O grande diferencial desta série não se dava apenas na narrativa, no roteiro e nas histórias em si, mas na construção das personagens que, de forma genial, funcionavam como um só personagem. Não havia Rui sem Vani e nem Vani sem Rui, os dois eram sempre um só. Ainda hoje Os Normais é tido como uma série nostálgica e que deveria voltar a grade da emissora, muito disso se deve a criatividade dos roteiristas e também ao impressionante talento da dupla de atores que criaram um universo paralelo genial.

7 - Hoje é Dia de Maria - Rede Globo

A produção mais ousada que a emissora realizou na década, disso não dá para ter nenhuma dúvida. Uma série infantil, absolutamente cult e que prezava exclusivamente pela qualidade intelectual do produto e pela qualidade artística de cada cena. Sempre utilizando metáforas complexas, citações clássicas e musicais infantis, porém cults, a série conquistou não apenas crianças, mas jovens e adultos que paravam todas as noites para ver a saga de Maria que, em determinados momentos, lembrava a história de Alice no país das maravilhas. Ponto para a Globo que teve coragem de produzir algo de tamanha qualidade sem se preocupar com a audiência e obteve grandes resultados.

6 - Presença de Anita - Rede Globo

Manoel Carlos em seu último grande momento de inspiração produziu a minissérie que chocou, mas também parou o país durante toda a sua exibição. A história, baseada num livro, foi tratada muito antes do início, como imperdível e que iria mudar os conceitos do telespectador. E a promessa foi cumprida. Com cenas ousadas, diálogos fortes - quase profanos - o roteiro esteve sempre desafiando o telespectador a prosseguir na saga da desprendida Anita. Ao contrário do que poderia acontecer, em nenhum momento a história descambou para o pornográfico ou mesquinho, ao contrário, apesar de cenas fortes, tudo sempre foi tratado com muito bom gosto no roteiro e também na direção impecável. Uma minissérie que, certamente, se tornou inesquecível para todos que puderam assistir.

5 - Força-Tarefa - Rede Globo

A série policial mais bem sucedida da TV brasileira. A princípio, a idéia da emissora era produzir uma série-documentário contando a história da polícia carioca e de seus percalços para conseguir realizar um trabalho de qualidade. Sem sucesso com essa idéia, foi encomendada então, uma história que narrasse o dia a dia de policiais da corregedoria, ou seja, o grupo que investiga os crimes cometidos pela própria polícia. Se a premissa já era interessante, com o roteiro impecável e emocionante criado ficou tudo mais atraente. A primeira temporada já havia sido divina e cheio de elementos que mantinham o público próximo, mas a segunda temporada acabou sendo impecável e se tornando memorável em todos sentidos, muito também pela atuação sensacional de Murilo Benício, o protagonista.

4 - Os Maias - Rede Globo

Maria Adelaide Amaral mostrando o quão é genial em produção de séries e minisséries. Um ano após paralisar o Brasil com a maior minissérie nacional de todos os tempos, A Muralha, a autora surgiu no primeiro ano da década com uma história super interessante, bem amarrada e capaz de produzir uma variável quase infinita de emoções nos telespectadores. Os Mais conquistou o público logo de cara e, mesmo sendo violenta, de guerra e, em determinados momentos, forte demais, em nenhum momento deixou de ter bom gosto e um texto irretocável, além de direção que sempre prezou por manter a qualidade das cenas sem exagerar ou apelar. Com um elenco também muito bem escalado, era impossível que uma produção assim não fosse sucesso, e foi.

3 - Dalva e Herivelto - Rede Globo

Série de 2010, novamente sob a batuta da incansável Maria Adelaide Amaral. Com a intenção de mostrar a história de vida de uma das maiores cantoras brasileiras de todos os tempos, Dalva de Oliveira, a emissora decidiu produzir a série e certamente não contava com o absoluto sucesso que a minissérie teria. Tanto sucesso que fez a cúpula da Globo se arrepender de ter produzido tão poucos capítulos, uma vez que o Brasil parou em Janeiro para ver a emocionante história de Dalva de Oliveira e Herivelto Martins. Um roteiro impecável, diálogos fortes e cenas tão emocionantes que não raras as vezes levavam os telespectadores às lágrimas, o produto tornou-se um dos mais bem sucedidos de 2010 na emissora. Destaque também para o ótimo desempenho de Adriana Esteves e Fábio Assunção como protagonistas.

2 - A Cura - Rede Globo

Primeira série escrita por João Emanuel Carneiro e que, convenhamos, tem tudo para se tornar a maior série brasileira de todos os tempos. E qual o motivo, portanto, de não estar no topo? Simplesmente porque ela ainda não chegou ao fim e, com isso, é impossível saber o que pode acontecer. Mas o que se viu até agora é uma história violenta, bem contada e, principalmente, mostrando que a linha narrativa não precisa ser sempre igual para uma história fazer sucesso. Como já havia ousado em novelas, João Emanuel Carneiro inovou nas séries nacionais e vem produzindo uma verdadeira obra de arte para o telespectador brasileiro. E o elenco? Impecável do início ao fim, com todos se destacando, inclusive os novos rostos que surgiram graças a produção.

1 - A Casa das Sete Mulheres - Rede Globo

Hoje, ainda é impossível pensar em lista de melhores séries ou minisséries nacionais da década e não pensar em A Casa das Sete Mulheres no topo. A maior produção da Globo na década, contou com um elenco numeroso, mas sempre com grandes nomes e nenhum decepcionou, além de uma história impressionante. Também baseada num livro conhecido, a série ousou, inovou, mostrou diversas histórias paralelas - o que minisséries não costumam fazer - apresentou uma gama impressionante de personagens complexos, cheios de histórias para contar e fez com que o telespectador se apaixonasse imediatamente pela produção que é lembrada com carinho por praticamente todos os brasileiros. É impossível pensar que A Casa das Sete Mulheres não seja um dos produtos mais queridos do telespectador brasileiro na década, e isso incluindo todas as categorias de produtos da dramaturgia nacional.

8 Quebraram tudo:

João Lucas disse...

Concordo com quase tudo na sua lista, só lamento a falta da emocionante minissérie Queridos Amigos de Maria Adelaide Amaral. Me diga Daniel vc não acha que esta minissérie não mereceria uma indicação de louvor.

Eryck Taques disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rogercg disse...

a lista está perfeita... só adicionaria 'Queridos Amigos' em 3ª colocação

Daivison Tavares disse...

Senti falta de duas grandes Minisséries : Maysa,com uma interpretação impecável da então estreante Larissa Maciel. e também faltou JK, uma miníssérie ,muito bem feita e que não só falou da vida de um presidente,mas também mostrou as dificuldades enfrentadas para a cosntrução da capital do Brasil.
Pena que elas não couberam na sua lista.

Thiago Monteiro disse...

Na minha lista entraria em primeiro lugar "Som e Fúria"... Roteiro, elenco, direção, trilha sonora, tudo na mais alta qualidade.
Isso sim foi algo bem americanizado de ser ver.
Uma pena a Globo não ter dado o devido valor a essa obra prima.

Ps: Quando vi o título da postagem, já passou pela minha cabeça que a obra de JEC estaria ou em primeiro ou em segundo. :P

Felipe de Alcantara disse...

e Maysa não entrou na lista?

Paulo Jr. disse...

Lista ótima.

Mas Força Tarefa?! Mesmo?! Really?! WTF?!

scream disse...

Os Maias fracassou em audiencia.... Faltou aí JK, Um Só Coração, Anos Rebeldes e Maysa

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira