quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Quem é o modelo para Malhação?

Assisto Malhação desde sempre. Creio não ser o único e muito menos um dos poucos que acompanha a trajetória da série teen produzida pela Rede Globo há mais de uma década. Desde a estreia na segunda metade da década de 90 até o momento muita gente passou por ali - boa parte do elenco global de peso hoje começou na telinha da série - e muitas histórias foram contadas.

Ao longo deste período o público se identificou com as tramas em muitas temporadas e, principalmente em sua primeira metade, a série era um marco na vida de todo adolescente. É improvável que algum adolescente de 10 anos atrás consiga dizer: "Eu nunca assisti Malhação". Mais do que simplesmente assistir, boa parte dessas pessoas, cresceram acompanhando a realidade adolescente, os conflitos que eles próprios enfrentavam no cotidiano sendo mostradas na TV.

E assim foi até o ano de 2004, quando a emissora conseguiu a proeza de exibir a melhor temporada de todos os tempos da série. A partir dali, ninguém sabe dizer o que aconteceu. Uma sucessão de equívocos, roteiros mal elaborados, direção ruim e péssima escolha na nova geração de atores, culminou para perda de qualidade de Malhação e também para sua perda de audiência. A partir de 2005, o interesse dos adolescentes pela série diminuiu drasticamente.

A atual temporada que se iniciou na última segunda-feira é a prova concreta de que o rumo de Malhação perdeu-se completamente a tal ponto de, infelizmente, podermos afirmar que não há mais retorno. Mais do que simplesmente ruim, a série transformou-se em uma produção dramatúrgica boba, sem qualquer fundamento ou embasamento. Nenhum adolescente em sã consciência vai se identificar com personagens como os que são mostrados - e isso não apenas em 2010, mas desde 2005 e vem piorando.

Em alguns anos até que a produção tenta invadir a realidade desta tribo social brasileira. Problemas como homossexualismo, drogas, namoros são tratados volta e meia, porém, os temas são debatidos com uma profundidade que entediaria uma criança de 04 anos. Os relacionamentos e conflitos do universo teen não são tratados na vida real como são tratados em Malhação e isso afasta o público.

Assistindo a atual temporada que promete uma série de caricaturas e clichês de adolescentes vindo sabe-se lá de onde, a única pergunta que podemos fazer é: Onde os autores da série vêem adolescentes para criar estes personagens? Qual o planeta que serve de Laboratório? A Terra, com certeza, não é.

5 Quebraram tudo:

Carla disse...

Concordo que perdeu a qualidade, mas essa temporada eu gosto, não é a melhor do mundo, mas é assistível!
A temporada de 2004 foi ótima, depois foi perdendo a qualidade... Mas está melhorando ao longo do tempo!

Gabriel Borba disse...

Daniel
Acho que o problema maior de Malhação é o enfraquecimento do formato. Vamos combinar que tentam de tudo, mas o enredo acaba sendo o mesmo sempre.
Além disso, acho temeroso colocar pessoas totalmente despreparadas (leia-se aí Fiuk e companhia ltda.) a "tocar" uma história.
Malhação ID (que graças a Deus terminou) foi uma das coisas mais bizarras que já vi na TV (vi é uma força de expressão, pois era impossível assistir...)
Abraços

Nair disse...

Assisti a temporada de 2004, pois era impossível não ver. Hoje é impossível ver.
Aquela de 6 anos atrás marcou muito, tinha elenco, enredo, direção e sentido. Agora essa criançada estranha que eles colocam mais constrangem do que entretem o telespectador. O formato desgastou e a globo deveria investir em um produto totalmente novo no lugar da novelinha.

Thiago Monteiro disse...

A temporada de 2004 foi uma cópia descarada do filme "Um Amor para Recordar" e se foi boa, mais se deve ao surgimento da vagabanda, que diferente das temporadas seguintes, eram músicas que davam para escutar.

Agora, temporada boa mesmo na minha opinião foram as duas primeiras da era Multipla Escolha, escrita também por Emanuel Jacobina (autor da nova temporada).

Naquele tempo existia ousadia, os adolescentes não brincavam de causar traminhas uns com os outros. Quem iria imaginar que uma personagem carismática como a Erika iria pegar o vírus do HIV? Ou o Marquinhos (Daniel de Oliveira) que sofreria um acidente de carro devido ao alcool e NÃO voltaria a andar? E ótimo plot do adolescente que entra armado e faz o pessoal do bar de reféns?

Rodrigo deixou de namorar, jogar a final do campeonato para estudar para o vestibular, coisa que hoje em Malhação eles sequer se dão o trabalho de estudar e conseguem passar de ano e entrar na faculdade.

Sem falar na trilha sonora de antigamente que era fantástica com Creed (graças a novelinha conheci essa banda) Red Hot Chili Peppers, entre outras.

Fazia tempo que havia deixado de assistir Malhação, mas ao saber que Jacobina voltaria ao comando, resolvi dar mais uma chance a novelinha na esperança de poder voltar aos tempos bons daquelas fases que citei.

Infelizmente até o momento estou decepcionado, acho que está um pouco mais madura que as temporadas passadas, mas a direção, os atores, e agora mais do que nunca a trilha sonora (a pior que já vi na novela) continuam péssimas.

Não sei também se hoje Jacobina poderia tratar os mesmos temas polêmicos que tratou anos atrás, pois parece que a televisão brasileira regrediu e que o Ministério da Justiça implantou uma censura mais do que chata, onde qualquer besteirinha é motivo pra pegar no pé da emissora.

Mas também creio que não necessite apenas dessas coisas para deixar uma trama boa, pois o principal de tudo é conseguir envolver os telespectadores, coisa que Malhação hoje em dia não consegue mais com suas estórinhas pra lá de manjadas.

Paulo Jr. disse...

Malhação hoje é sinônio de falta de qualidade em todos os sentidos. Incrível como a Globo mantém uma idiotice dessas (e o Zorra Total) no ar!!!

Qual foi a temporada de 2004?

Eu gostava da que tinha o Pedro e a Júlia (Henri Castelli e Juliana Silveira) e era baseada meio que em Romeu e Julieta, um amor impossível...

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira