segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Viver a Vida mostra o que não é ser novela

*Leia também: "Os Melhores Filmes da Década"


Manoel Carlos criou inconscientemente um modelo de "como não se escrever um folhetim para a televisão" ao produzir Viver a Vida, até o momento a pior novela das 8 da história da Rede Globo. Já se foi mais da metade de trama e até agora tudo o que vimos foi o que de pior pode existir na teledramaturgia.

De fato existiram novelas com apelação, com texto ruim, com diálogos sofríveis, como foi o caso de América e Duas Caras, mesmo assim, em ambas as novelas existia um emaranhado de situações, existia uma trama caminhando, existia conflitos humanos e a história andava, ao contrário de Viver a Vida.

Fosse necessário a todo custo classificar a atual novela das 8 a melhor forma seria "uma anti-novela". Viver a Vida não tem nenhum elemento necessário a uma novela, neca, nada. O autor aposta todas as suas fichas nos diálogos entre personagens, que são na maior parte das vezes uma busca desesperada pelo realismo. Ocorre que até no mundo real a vida de ninguém pode ter tamanho tédio como o que ocorre com os personagens do folhetim. A lentidão com que acontecem as coisas nesta novela irrita e, mais do que isso, deixa um ar de elementos falsos que afasta o público, afinal, ninguém quer ficar olhando para uma televisão todo santo dia e não ver nada de interessante, que chame a atenção.

Mais do que simplesmente uma trama lenta, a novela não tem história. A princípio tentou-se investir numa protagonista forte, sem medos e que fala o que pensa. Helena simplesmente inexistiu em boa parte da novela. Em seguida a grande aposta de Maneco foi no tal acidente de Luciana que parecia uma trama interessante. Não funcionou, ele errou a mão, criou situações que beiravam o ridículo, como a personagem tentar comer uma banana (e pasmem, conseguir pouco tempo depois de ficar tetraplégica!).

A tentativa de fazer de Dora uma vilã pérfida não funcionou também por culpa do autor, afinal, ele mesmo criou a personagem como heroína desde seu aparecimento na novela, seria impossível torná-la uma mulher sem caráter e, mesmo que no desespero, tentem isso hoje, vai piorar mais ainda. A briga dos gêmeos parece ser o que há de mais interessante em Viver a Vida, ainda assim é tudo muito devagar, muito forçado, muito fora da realidade.

Infelizmente, no desespero por aumentar a audiência, Manoel Carlos se esqueceu das tramas paralelas, deixou de lado a melhor personagem da novela, Renata, e tornou-a uma merca figurante. Pena, se ele investisse nessa história, certamente os resultados seriam melhores.

Após uma série de tentativas fracassadas a nova aposta é investir em Rafaela como uma aprendiz de vilã. Os olhares que a menina tem dirigido a Helena, ao menos por enquanto, não funcionam. A menina não parece em nada uma vilã, mas lembra muito mais uma personagem de terror (alguém aí lembrou da Samara?), o que certamente não era o efeito que todos queriam.

Quem assiste sabe que não há carga dramática, não há identificação com personagens, não há nada, absolutamente nada, que prenda o público diante da TV para assistir a novela, simplesmente porque nada ali chama a atenção. Tudo é superficial, mal contado e chato, monótono, modorrento.

Definitivamente o melhor a se fazer, tanto por parte do autor, da direção, do elenco e da própria Rede Globo é esquecer Viver a Vida. Deixar a novela caminhar lentamente rumo ao precipício e esperar o fim agonizante dessa péssima história que é um marco negro na história da teledramaturgia e, sem dúvida, mancha uma carreira vitoriosa como a de Manoel Carlos. Uma hora o fim da novela chegará, aí, simplesmente, sem pudor algum, todos nós respiraremos aliviados.

* Este texto também estará disponível no MSN Entretenimentos, o principal site sobre o mundo da celebridades.

7 Quebraram tudo:

Daivison Tavares disse...

É Daniel,eu que sempre fui um admirador das novelas escritas por Manoel Carlos,estou bastante decepcionado com Viver a Vida.Uma novela que tinha tudo pra dar certo,tudo pra explodir,não passa de um pequeno passatempo do autor.Sim poque é esta a impressão do público ao assistir Viver a Vida.Parece que o Maneco não se importa com a sua Helena,que foi talvez a mais falada,a mais divulgada e o pior parece que ele não se importa com a novela toda.
Como dizemos aqui em Maceió,eita autorzinho "Marcha Lenta".Realmente estou bastante triste porque eu acompanho há muitos anos as novelas do horário nobre e nunca vi um folhetim tão ruim.

Kamila disse...

Acho que você exagera um pouco Viver a Vida não é tão ruim assim pelo ao contrário a novela é muito boa a audiência ta mal mais você tem que considerar que mesmo estando mal na audiência a novela é a mais assistida do Brasil isso sem dúvida nenhuma tem estado em que a novela marca 47 pontos isso não é pra qualquer um e Viver a Vida tem seus defeitos mais me diga qual novela não tem defeito?

O Fato é que Viver a Vida tem revelado muitos talentos e um deles pra mim é o galã do momento ele é o Marcello Airoldi a novela não seria nada sem ele isso sem dúvida ele sim é um ator que tem que se aplaudir de pé, pena que são poucas as pessoas que reconhecem isso.

Guilherme disse...

duas caras foi uma novela excelente!
Vc podia fazer uma lista de cinco melhores novelas das 6, das 7 e das 8.
Mais uma coisa: Dora só não se tornou vilã pois o autor Manoel Carlos teve que mudar a história, a Rafaela não podia ser vilã por causa da idade dela

Guilherme disse...

chego a pensar que você é fanático por viver a vida, só da Viver a Vida no blog e no twitter
rsrs

Gabriel Borba disse...

Falar sobre Viver a Vida virou Viver a Vida: chato!
Como eu espero que este seja o último post sobre esta "coisa" (talvez um no final da novela para dar a extremunção...) resolvi comentá-lo.
Viver a Vida é um fantasma na programação da Globo, ou um flanelinha guardando o lugar para o carro de algum magnata estacionar (e esperemos que esta nova novela seja assim).
A Kamila comentou que em alguns estados a novela é bastante assistida. Com todo o respeito, em MUITOS, repetindo, MUITOS, lugares do Brasil a Globo é a ÚNICA emissora presente nos televisores, e não pela qualidade de seus programas, mas simplesmente por que os outros canais não tem cobertura. Além disso, em muitos lugares ainda prevalece aquela máxima de que a Globo é a Globo, e até chuvisco no Plim-plim dá mais audiência que outro canal.
Quanto a gostar da novela... tem gente que come jiló.
Outro dia assisti a um capítulo de Cama de Gato (UM capítulo) e aconteceram mais coisas que em MEIA Viver a Vida.
A novela de Manoel Carlos me faz lembrar aquelas novelas de época em que o personagem esperava dias, ou meses, para receber a resposta de uma carta muito importante que mandara também há alguns meses. Só há uma diferença: naquelas novelas aparecia "Alguns meses depois"; se fosse em Viver a Vida mostrariam os meses na íntegra.
Porém, tenho algo a agradecer a esta novela, pois ela proporcionou que o pessoal do Pânico na TV fizesse aquela paródia com o depoimento do Rubinho. Salve Maneco!

kBrunno disse...

Concordo. E ah, sim as brigas dos gêmeos não beiram o ridiculo, são patéticas, eu pelo menos tento dar gargalhadas forçadas, mas o que sinto é vergonha alheia. O único talento que Viver A Vida trouxe foi Barbara Paz. E o pior de tudo é a lentidão, em que ficam 1 semana na vespera do natal, já pulam para vésoera de ano novo e param ali. Uma coisa "nova" demora dias e isso é assunto para semanas. Enfim, adoro ver [falarEm mal de] Viver A Vida no blog!

Jemima disse...

Essa novela eh um saco. Eu raramente assisto. É lenta, cansativa. Falta mesmo um vilão. o que realmente falta é uma trama, algo que lhe prenda pra ver no dia seguinte, o que não me causa daí prefiro ver tv a cabo nesse horário.

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira