sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010


Aos 72 anos completos em 2010, Lauro César Muniz é um dos principais autores de novelas do país. Construiu uma sólida carreira na Rede Globo, no período áureo da emissora em que a alta cúpula sempre optava por folhetins de qualidades sem preocupar-se com o resultado da audiência. Escreveu obras de sucesso como O Casarão, Transas e Caretas, O Salvador da Pátria e Sonho Meu, todos pela Rede Globo. Atualmente pertence ao time de autores da Rede Record, onde já está terminando sua segunda novela. Escreveu Cidadão Brasileiro, novela que, dizem, foi a responsável pela mudança de emissora, e agora está terminando Poder Paralelo, principal audiência da emissora e principal audiência fora da Globo.
Com muita simpatia, Lauro César nos concedeu uma entrevista esclarecedora, divertida e muito inteligente. Como é uma entrevista longa, nós a dividimos em 03 partes para não ficar muito longa. Confira agora a 1ª parte da entrevista com Lauro César Muniz:

TVxTV: Obrigado por aceitar a participar da entrevista:

Lauro: Seu convite é irrecusável. Você escreveu: “...considero o gênero muito interessante e uma das mais belas artes do país, sou fã de carteirinha de seu trabalho em Poder Paralelo - considero a 2ª melhor novela da história da teledramaturgia e, disparada, a melhor novela no ar atualmente.”

TVxTV: Qual o sentimento em saber que, mesmo com tantas mudanças de horário, Poder Paralelo é o programa mais visto fora da Globo, em média pelos brasileiros?

Lauro: As mudanças me machucaram muito. Nosso horário sacramentado era às 22 horas. Hoje entramos por volta de 23 horas e frequentemente terminamos depois de meia noite. Há uma queda de 15% de aparelhos ligados durante a exibição de Poder Paralelo, porque o público tem obrigações no dia seguinte, bem cedo. Ao liderar a programação da TV Record neste horário me sinto recompensado.

TVxTV: Tanto em Cidadão Brasileiro como em Poder Paralelo vemos que o foco do roteiro é para um protagonista homem. Você prefere centrar a história para homem do que para mulher?

Lauro: Cidadão Brasileiro é a história de um homem que se fez por conta própria na década de 50. Poder Paralelo é a história da vendetta, de um homem que perde a mulher e as filhas em um atentado mafioso. Os temas pediam um protagonista masculino, assim como Zazá pedia uma mulher fantástica e Chiquinha Gonzaga retratava a história real de uma grande compositora popular brasileira... Carinhoso era a história de Cecília, também uma mulher... Cada história pede um enfoque...

TVxTV: Quando e como surgiu a idéia para adaptar “Honra ou Vendetta” de Sílvio Lancellotti para a TV? Você conversa com o autor do livro para definir os rumos dos personagens?

Lauro: A primeira idéia foi fazer uma minissérie a partir do livro do Sílvio. Essa idéia é muito antiga, do início da década de 90. Nessa época falei muito com o Sílvio. Quando surgiu a oportunidade de se fazer a novela, voltamos a nos falar porque eu precisava que ele entendesse que a partir do livro eu não tinha material para uma novela, por causa da extensão. Precisaria criar muitas outras personagens. Ele entendeu e topou. Então criei o Bruno, a Fernanda, a Maura, e tantas outras personagens. Durante a novela não tive tempo de conversar com ele, mas trocamos muito e-mails muito bons! Ele gosta da novela!

TVxTV: Suas personagens não são certinhas como a maior parte das mocinhas típicas. Fernanda Lira não tem pudor, aceitou ser amante por duas vezes, apenas baseando-se em seus próprios sentimentos. Você não tem medo de haver rejeição do público com personagens assim?

Lauro: Não houve rejeição à Fernanda. Nenhuma. A Paloma Duarte é uma grande atriz e não há ninguém que não se fascine pelo trabalho dela em Poder Paralelo.

TVxTV: Antes de mudar de emissora, havia de sua parte algum preconceito quanto a qualidade de uma produção fora da TV Globo?

Lauro: Havia. Não era preconceito, mas a realidade histórica deste país. Nenhuma emissora conseguiu se igualar à TV Globo em telenovelas. Mas acreditei na TV Record e está dando certo. As novelas da Record hoje têm uma ambição temática bastante superior às novelas da Globo. Com relação à produção ainda há uma distância que a cada ano vai diminuindo. A Globo precisa exigir mais de seus autores.

TVxTV: Qual a principal diferença entre escrever uma novela para a Globo e para a Record?

Lauro: A Globo fez novelas maravilhosas quando o Boni era o diretor artístico. Não preciso citar os exemplos. Não havia formatos nem impedimentos. Todos os temas por mais arrojados que fossem eram bem recebidos. Com a saída do Boni, a emissora ficou pragmática, um olho no Ibope e outro também no Ibope e a qualidade e arrojo temático se perderam. A Record nos deu, até aqui toda liberdade de ação. Preocupa-se mais com detalhes do que com o geral e muitas novelas arrojadas e de qualidade voltaram a mostrar que é possível uma temática mais arrojada e que tangencie a realidade do país.

TVxTV: Houve de fato proposta para você trocar a Record pelo SBT ao final de Poder Paralelo? Seu novo contrato com a Record prevê quantas novelas ainda?

Lauro: Houve. O Del Rangel, diretor de telenovelas, me procurou, falando em um encontro urgente entre mim e o Sílvio Santos. Como eu estava com Poder Paralelo no ar não me parecia ético alimentar o assunto.


TVxTV: Quando você criou o serial killer Guri você já sabia qual personagem seria? Existe a chance de haver mais de um guri?

Lauro: Tinha três nomes em mente e, ao escrever as cenas, estava sempre atento para a ação desses personagens no momento do crime. O Guri não pode ser um personagem qualquer. Tem que haver uma lógica, uma explicação bem clara de por que ele age assim. Quem poderia matar a mamma Freda e por que?

TVxTV: Nós, mais novos, não tivemos a chance de assistir suas novelas mais antigas e que muitos dizem figurarem entre as melhores da história da dramaturgia. Mesmo assim, Poder Paralelo é considerada a melhor novela desta nova fase da Record, qual o sentimento em saber que você é responsável por uma produção tão magnífica?

Lauro: Considero Poder Paralelo a melhor produção da Record, mas logo será superada e felizmente! A cada novela melhores são as condições de trabalho da Record. O que a Record ainda não entendeu é que as novelas são as colunas básicas da programação de qualquer emissora aberta no Brasil. Sacrificar o horário e a estrutura de capítulos de uma novela é um tiro no pé! É matar a galinha dos ovos de ouro! São as novelas e não os reality shows, como Ídolos ou A Fazenda, que garantem a audiência da emissora junto ao grande público.

TVxTV: Sem considerar as suas novelas, qual a melhor novela que você já viu na vida?

Lauro: Beto Rockfeller. Eu jamais colocaria uma novela minha entre as que eu mais gostei. Isso é impossível. Para gostar de uma novela você tem que apreciá-la com total isenção. Não posso aplaudir aquilo que está dentro de mim e que compõe o meu universo. Se ouço uma frase que eu escrevi, a frase me soa como um eco, uma reiteração daquilo que eu penso. Como aplaudir a mim mesmo? Eu quero é ser surpreendido... e as minhas novelas só me surpreendem enquanto eu as escrevo. Nunca no veículo completo da TV.

TVxTV: Atualmente o horário nobre de novelas da Globo passa por uma série crise de audiência. Você acredita que Poder Paralelo teria chance de dar bons números na Globo?

Lauro: Acho que Poder Paralelo daria dignidade à Globo.


A 2ª parte da entrevista continua amanhã.

6 Quebraram tudo:

wagnermendes disse...

Ótima entrevista, inteligente e sensata. Parabéns!

Ivete disse...

Só esta parte da entrevista já foi 10! Espero ansiosa pelo restante!E tomara que a Record perceba que precisa respeitar os horários...Quem sabe assim vamos poder apreciar do início ao fim trabalhos como Poder Paralelo?

Um abraço

KG disse...

Lauro César Muniz é O CARA!!!
E fiquei bobo quando ví que o blog conseguiu uma entrevista exclusiva com o autor! Parabéns, Daniel! Vai entrar para a história do TVxTV.

GRAZIELLE disse...

Perguntas inteligentes e sem medo de repreensão. Muito bom, é essa sinceridade que diferencia este blog de outros. Quanto às respostas de Lauro César, sem comentários o cara é um gênio!

Guilherme disse...

Poder Paralelo só fica atrás de A Favorita, Celebridade, Paraíso Tropical, Belíssima, Mulheres Apaixonadas, Por Amor, Cobras e Lagartos e Alma Gêmea!

Mara disse...

Aqui Lauro César Muniz deixou claro que a sua novela teria uma lógica com o desfecho final, não concordo porque deixou muitas lacunas a serem preenchidas. A personagem Fernanda Lirá naõ disse a que veio na trama foi ridiculo o final, quem elegeu o Poder Paralelo a melhor novela foi nos internautas e quem elegeu a Paloma a melhor atriz fomos nós também, por falta de opção.Por sermos Poder Paralelo até a morte.

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira