segunda-feira, 1 de abril de 2013

Xuxa é maior que a TV brasileira

No último sábado a Rede Globo exibiu uma impressionante homenagem a apresentadora Xuxa Meneghel por seus 50 anos de idade. A festa aconteceu dentro do próprio programa da apresentadora e serviu para mostrar o tamanho de Xuxa. Na verdade, serviu mesmo para mostrar que é difícil mensurar um tamanho para alguém que representa tanto para nossa TV.

O programa, sob o comando de ninguém menos que Pedro Bial, foi todo lindo e emocionou. Não há o que se falar da produção em si, que conseguiu mostrar a real importância de Xuxa para o telespectador brasileiro. Se há algo a se questionar, contudo, é a decisão da emissora em levar ao ar o show num sábado a tarde. É bem verdade que este é o horário de exibição do TV Xuxa, mas a apresentadora merecia um evento no horário nobre. A sexta-feira anterior teve exibição de filme no Cinema Especial, pois a nova grade começa para valer a partir de hoje, não custava ter colocado o evento ali. Uma pena que ninguém pensou nisso.

Mas ainda assim, este foi um momento de reflexão sobre a apresentadora. Acusada pela mídia conservadora e pelos pseudointelectuais de deseducar as crianças nos anos 90. A apresentadora, nomeada pela maioria como Rainha dos Baixinhos, foi um verdadeiro furacão desde que assumiu as funções de apresentadora infantil ainda na década de 80. Com um carisma raramente visto, ela causou comoção e idolatria em boa parte da geração nascida a partir do fim da década de 70.

Tentar explicar para uma criança ou adolescente dos dias atuais tudo que Xuxa significou para as crianças daquela época é muito difícil, pois a TV mudou tanto que é impensável imaginar que possa haver um tipo de idolatria nesses moldes. Xuxa foi a mãe, a tia, a vizinha, a madrinha, a babá e mesmo a professora de milhões e milhões de crianças por anos a fio. Pode-se questionar os métodos da emissora em transformá-la em Rainha dos Baixinhos, mas não se pode jamais negar a importância histórica que ela tem na vida de toda uma geração de crianças.

Mais do que isso, ela é corajosa. Ao deixar a zona de conforto em que estava com o universo infantil e assumir para si o desafio de dialogar com adolescentes ela arriscou. Além de ser a primeira mulher a brigar, de fato, na forte disputa de audiência que é o domingo, Xuxa mostrou-se madura e audaciosa. O seu Planeta Xuxa foi um dos marcos da TV brasileira, pois soube como poucos programas dialogar com adolescentes e também servir de espaço para toda a família.

Xuxa é mais que uma simples apresentadora. Ela é uma comunicadora nata. Entendendo sua importância junto ao público, nunca ninguém a vê de mau humor. Está sempre disposta a sorrir para fotos, a falar com os fãs e a dar conselhos, transmitindo fé e esperança. Xuxa sabe seu próprio tamanho. Não importa se seu programa atravessa uma fase complicada em termos de audiência - muito mais culpa de uma direção que não compreende o estilo da apresentadora - se ela chega a perder para a concorrência. Ela não precisa mais de números para se mostrar. Ela é maior que o Ibope. Ela é maior que a própria TV.

3 Quebraram tudo:

Chrystian Wilson Pereira disse...

Nossa, cara, que exagero. Ela é grandiosa em termos do que foi investido nela no passado, do que ela ainda representa, mas essa tua caracterização ficou muitos tons acima do que ela realmente é (ou mesmo foi).

Hugo Litrell disse...

Discordo do acima.Achei a crítica genuína e imparcial.Quem mais,além de Xuxa,no ramo da tv,conquistou esse espaço?

Renato disse...

Adorei o texto. Concordo com o fraca direção da Globo, pois quando realmente querem, os números do ibope demosntram que Xuxa ainda tem espaço na tv.

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira