domingo, 24 de janeiro de 2010

O Problema de Tempos Modernos é o Público


Para começar este artigo é preciso deixar claro uma coisa: eu sou um dos grandes defensores da telenovela como obra de arte, assim como cinema, teatro e literatura. Não a considero melhor ou pior que as outras citadas, mas entendo que ela tenha uma linguagem própria para um público próprio. Posto isso, vamos falar de Tempos Modernos.

Com duas semanas de exibição, a trama de Bosco Brasil ainda não emplacou no Ibope como queriam os executivos da Rede Globo que esperavam muito da obra, muitas críticas estão surgido em vários sites e jornais fazendo referência a linguagem e ao ritmo de Tempos Modernos, além claro que falar da audiência bem abaixo do satisfatório. Mas é preciso fazer uma análise mais complexa destes números em comparação ao que foi apresentado nestes primeiros 12 capítulos.

O folhetim é muito mais do que uma trama simples, com humor raso e diálogos quase infantis como suas antecessoras e, principalmente, Caras e Bocas que foi um sucesso retumbante, mas que nunca teve um texto que primava pela qualidade intelectual. Tempos Modernos apresenta ao público algo muito diferente do que se vê tradicionalmente nas novelas, seja qual for o horário. Em qualquer análise que se faça, optando por quaisquer das muitas características de uma trama, há de se perceber que a novela das 7 é muito diferente.

O ritmo ilustra muito bem esta afirmação. Tradicionalmente as primeiras semanas de uma novela é mais calma, com alguns acontecimentos rápidos para prender a atenção do público, mas apresentando os personagens de forma tranqüila e profunda, para que o público conheça melhor cada característica dos personagens e possa se identificar com alguns. Tempos Modernos modificou isso ao criar um ritmo alucinante desde o princípio. O autor não parece interessado em fazer apresentações, em mostrar as facetas de seus personagens. Para ele, ao que tudo indica, o importante é que o público conheça-os através de suas atitudes - que são muitas. Tudo é muito exagerado no ritmo da trama, isso mostra a intenção clara de colocar os personagens dentro de situações improváveis, mas teoricamente interessantes. Neste sentido, o folhetim lembra muito pouco o formato de telenovela e se aproxima muito mais das séries, pois os capítulos são quase independentes um do outro, sem grandes ligações, o que é uma inovação e tanto. Isso não quer dizer que a história não faça sentido, ela faz, mas a história maior - a que vai amarrar toda a obra - é cercada por pequenas histórias contadas a cada capítulo, como em séries.

Ao se olhar para as histórias em si é possível fazer observações interessantes. A grande crítica é que Tempos Modernos não apresenta uma história importante, centrada e que chame a atenção do público. Para os críticos, ali, tudo é muito forçado. Discordo. Primeiro é preciso lembrar que estamos diante de uma novela, de uma obra de ficção que desde as chamadas nunca teve a intenção de mostrar sentimentos, situações e pessoas reais. Bosco Brasil vem fazendo isso com maestria, fugindo da identificação, ou seja, ali, ninguém se parece com uma pessoa de verdade. E é nisto que os críticos erram ao não compreender que o Edifício Titã - local em que se passa boa parte da trama - não existe, é obra de ficção, está na imaginação. Se olharmos isso tudo sob este prisma, a história de Tempos Modernos se torna divertida, de bom gosto, com verossimilhança, leve e muito bem colocada.

As referências a obras clássicas também podem atrapalhar a compreensão do público. Alusões a grandes obras do cinema e da literatura, além de frases típicas de contos de fadas, dão ao folhetim uma cor completamente diferente a que nos acostumamos para o horário - e para as telenovelas de modo geral. Esta mudança não deve ser vista como uma ruptura negativa, mas como uma experiência em se criar novos caminhos para a sobrevivência do segmento.

Muitos estão criticando também o elenco e cometem erros e injustiças. Antônio Fagundes nem de longe lembra seu último personagem, Juvenal Antena em Duas Caras, apesar de ambos os personagens terem histórias de vida semelhantes, Leal é muito mais bem humorado, e Fagundes criou trejeitos muito interessantes para o personagem. A dupla romântica da trama também começa a chamar a atenção. De fato, Nelinha e Zeca são extremamente melosos, românticos e suas falas são cheias de metáforas e as vezes parecem não se interagir uma a outra. Mas isso é literatura, é licença poética, e Bosco Brasil faz isso com maestria. É o típico amor de cinema. Tiago Rodrigues soube dar nuances interessantes a seu personagem e Fernanda Vasconcelos vem melhorando. Viviane Pasmanter e Regiane Alves mostram que sabem fazer humor, no papel de Regeane e Goretti, respectivamente, a dupla tem dado a chance de muitas risadas ao público e creio que suas personagens vão crescer muito ainda.

São muitos os destaques do elenco. Guilherme Weber segue muito bem como o vilão Albano. Ele é o personagem mais difícil de fazer, por ser um vilã atípico. As maldades não são escondidas, ao contrário, são claras e até divertidas e, isso o torna muito mais interessante. Grazzi Massafera vem dando conta do recado com sua primeira vilã Deodora, ela não é o destaque desses capítulos, mas não compromete. E não podemos esquecer de Eliane Giardine que, madura, experiente, vem dando um banho de interpretação como Hélia.

E tem o núcleo mais complicado e criticado. A galeria do rock. Comandada pelo personagem de Leonardo Vieira (que só pra variar vem dando um show), os roqueiros de Tempos Modernos vêm sofrendo uma enxurrada de críticas, muitos considerando-os exagerados. Bobagem. Quem já visitou a galeria do Rock em São Paulo sabe que funciona daquele jeito. Quem tem amigos que consideram o rock uma religião, sabe que eles são desta forma. Eu estou gostando muito do núcleo. E ainda é preciso lembrar novamente que ali é uma obra de ficção, é preciso mostrar as principais características da tribo justamente para chamar a atenção.

A idéia do computador inteligente, o Frank, foi muito bem bolada. Ainda acho que o "personagem" vem sendo muito pouco aproveitado. Creio eu que a voz vai aparecer muito mais no decorrer da trama. Por ora, tem aparecido pouco, mas a todo momento, o texto do Frank é um dos melhores de cada capítulo. Com um bom humor impressionante o computador já conquistou o público.

Ao ver as críticas a novela e pessoas dizendo estarem com saudades de Caras e Bocas nota-se que há um problema no público brasileiro. A falta de paciência para se pensar, para degustar uma obra com calma, sem precisar rir mecanicamente com frases repetidas todo capítulo - em Caras e Bocas metade dos personagens tinham seus bordões que se tornaram previsíveis nas cenas. O diferencial de Tempos Modernos está justamente nisso. Não há bordões. Não há situações bizarras para se criar humor pastelão e que são repetidas a exaustão. Há texto, há profundidade das situações e das falas e há humor, muito humor, mas humor com conteúdo.

O que se percebe com tudo isso? Que não há mais espaço para novelas que apostam num humor diferente, um humor crítico, ácido, com contextualização, com referências. Não o rir pelo rir, mas o motivo, o fundamento do humor. Eu quero muito estar enganado, mas a impressão que se dá é que novelas como Guerra dos Sexos e, principalmente, Que Rei sou Eu, sucessos da década de 80 e com humor de qualidade, seriam fiascos nos dias de hoje. Por isso, está claro que o problema de Tempos Modernos é um só: o público.

*Este texto também está disponível no site Famosidades. O melhor conteúdo sobre o mundo dos famosos.

25 Quebraram tudo:

Guilherme disse...

pensei que vc ia falar qual é o problema da trama não decolar e vc vem me dizer que é o público.
Pensei que vc ia falar, exemplo: a novela não decolou porque falar isso, aquilo, etc...

Carlos disse...

Tenho que discordar.. a novela simplesmente não é nada lá essas coisas.. a tribo do rock é forçada demais, com gírias demais que chega a ser irritante.. o computador frank tem uma aparencia completamente estranha e uma voz chatíssima... o Leal não me agradou, muito cheio de pompa e monarquismo.. a personagem da Regiane Alves quer fama custe o que custar e me vem falando de album de anotações dos famosos? pede pro pai colocar numa novela... enfim.. não gostei mesmo do que vi e a trama caminha não sei pra onde...

Ed Cavalcante (POST SÉRIES) disse...

Daniel, meu nobre, sou um noveleiro com mais de 30 anos de estrada. Antes assistia como mero espectador, mas desde a década de 80, mais ou menos, passei a observar com olhar mais crítico. Também entendo a novela como uma obra de arte. Quanto a Tempos Modernos, a novela peca em muitos aspectos. O Fagundes não encaixou no personagem. Ele tem uma boa veia cômica quando o humor está apenas nos diálogos. Tempos Modernos exige cenas de pastelão que ele já não se encaixa mais.

Grazi Massafera: Rapaz, nunca vi uma vilã tão fake. O personagem é demais para ela. A atuação dessa moça (que tem futuro, reconheço) está abaixo do esperado. Diálogos artificiais, caras e bocas totalmente fora de sintonia, enfim horrível.

O par romântico: esse é outro ponto fraco da novela. Thiago Rodrigues e Fernanda Vasconcelos, ao que parece, estão em rítmo de Malhação ainda. Não convencem.

O que vem segurando a novela, sem dúvida é o núcleo da galeria. Ali vemos os melhores momentos da trama com ótimas atuações de Leonardo Vieira. Discordo de toda e qualquer crítica que se faça a turma de roqueiros.

Na minha opinião, o Bosco brasil está tentando repetir a fórmula experimentada em “Bebê a Bordo” , que também não foi bem recebida na época, o público, não acostumado com a linguagem dinâmica da trama, estrilou. Mas, a grande diferença é que a novela era muito boa. Tony Ramis deu um show e surpreendeu muita gente com aquele impagável neurótico hipocondríaco. Imagine o susto das pessoas quando viram Tony Ramos assim: http://www.youtube.com/watch?v=_3vXhAw5IPA


Abraço!

Daivison Tavares disse...

Eu Daniel,tbm não acho que o problema de Tempos Moderno seja o público,pq o público aceita coisas diferentes,senão não teriam aceito Caminhos do Coração,era diferente,mas depois virou um terror.
O problema da novela das 7 ,eu acho que é falta de verdade que ela apresenta,não pelo fato do computador,mas sim por ser muito irreal.As personagens são muito fracas e não agradam o público.Espero estar errado e quero que a novela deslanche,mas por enquanto não vejo nada demais nesta produção.


Abraço!!!

O CRITICO POPULAR disse...

A novela é chata..muito chata...sem carisma nenhum...e não acho nada parecida com séries...séries tem público certo...vide The Big Bang Theory..e depois cativam os demais....novela não...tem que ser uma grande "salada de frutas" pegar o público de jeito...e me desculpe a franqueza...mas eu acho o texto ruim..

Lucas R. Félix disse...

O problema de Tempos Modernos é que a novela é péssima.

Não importa qual fosse a antecessora, Tempos Modernos continua péssima.

andre650 disse...

Oi Daniel! Parei por aqui pela indicação do Ale Rocha, no Twitter. Cara, concordo contigo em tudo! Estou adorando Tempos Modernos e não entendo porque as pessoas a veem com tanto mal humor. É só encará-la como uma fantasia, que ela fica deliciosa! Também escrevi sobre ela em meu blog, o Tele-Visão. Aliás, vi no seu Twitter que é de Pereira Barreto, é isso? Eu sou de Ilha Solteira! Abração e parabéns pelo texto!
André San, www.tele-visao.zip.net

Ed Cavalcante (POST SÉRIES) disse...

No meu comentário onde escrevi "Leonardo Vieira", claro, eu queria dizer Leonardo Medeiros, sorry!

Daniel César disse...

Eita, quantos comentários. Gostando ou não da novela, continuem comentando. :D

Andre, eu sou de Pereira Barreto sim, somos vizinhos :D

Guilherme disse...

TEMPOS MODERNOS É UM PUTA LIXO!
UMA NOVELA SEM OBJETIVO!
NÃO QUERO SABER SE A NOVELA É CLÁSSICA, MODERNA, TRADICIONAL... SEI LÁ, SÓ QUERO QUE A NOVELA SEJA BOA, ISSO BASTA

Guilherme disse...

REPITO: TEMPOS MODERNOS É UM TÉDIO, UM LIXO, O PAPEL DE ANTONIO FAGUNDES É UM LIXO!
SÓ QUERO UMA NOVELA BOA, E SE O PÚBLICO NÃO ASSISTE É PORQUE NÃO GOSTA!
E SE O PÚBLICO NÃO GOSTA, É MELHOR AS NOVELAS SEREM COMO CARAS E BOCAS, BELEZA PURA, COBRAS E LAGARTOS, DA COR DO PECADO, ETC...
QUER INOVAR BOSCO BRASIL INOVA, MAS FAZ UMA NOVELA RUIM. PARA ESSA NOVELA SER A TREVA PRECISA MELHOR MUITO E MUITO...

Guilherme disse...

AGORA DEIXA EU ASSISTIR MALHAÇÃO ID. AO CONTRÁRIO QUE O POVO DIZ QUE É CHATA (NEM ASSISTE E FALAM) ESSA TEMPORADA ESTÁ DEMAIS!

Guilherme disse...

TEMPOS MODERNOS VAI ATÉ AGOSTO. VAMOS TER QUE AGUENTAR ATÉ VIR A NOVELA TI TI TI!

kBrunno disse...

Tipo, você fala mal de Tempos Modernos [que vejo uma novela mediana] e vem me falar bem dessa temporada de Malhação? Gente, isso nunca vai acabar não?

Sei lá, Grazi Massafera tem muito tempo pela frente, e talvez seja o melhor personagem dela até então [depois da songa monga de Paginas da Vida e da chatinha de Negócio da China], meio caricato, tá, nada que não seja divertido.
O cara que faz o Albano lá tá muito bem, e o pessoal da galeria do rock poderia meeeeeeesmo deixar as girias irritantes de lado!
No mais, a novela ainda está no começo ´[e mal me lembro no 1º capitulo...]

Guilherme disse...

Falo de Malhação porque eu gosto, está temporada está boa. Tenta assistir pelo menos um capítulo para depois vir falar
Agora Tempos Modernos é um lixo!
E vai continuar mal no ibope, que venha TI TI TI !

Guilherme disse...

Agora: se o público fala mal é porque não gosta!
Beleza Pura eu via como uma novela morna, não era boa nem ruim, e o público migrava entre os 25 pontos e os 30 pontos!

Daniel César disse...

Guilherme, vc está se contradizendo, não percebe?

Primeiro vc diz que Tempos Modernos dá baixa audiência pq o povo não gosta e o povo tem sempre razão. Depois vc diz que o povo está errado ao criticar Malhação ID que TAMBÉM dá baixa audiência.

Tem como você decidir qual opinião você tem?

Guilherme disse...

Daniel, vc está confundindo, quero dizer que Tempos Modernos é chata demais e Malhação ID só não dá ibope porque o povo idiota não quer assistir só porque está velha e as outras temporadas estavam chata, certa?
Tempos Modernos não dá ibope porque é sem noção.
Malhação não dá ibope porque está velha e as outras temporadas estavam chatas (desde 2007 eu acho)
Entendeu o quer que explico com outras palavras?
Malhação Id: Ingênua, meio boa, mas é legalzinha
Tempos Modernos: Sem noção, humor cansativo, sem palavras
Malhação ID tem um desempenho melhor que Tempos Modernos!
E olha que Malhação já está velha!

Guilherme disse...

perdoe pelos meus erros do texto!

Guilherme disse...

Malhação ID: Qualidade de texto, aborda temas polêmicos com levezas
Tempos Modernos: História sem noção, casal romântico idiota, história idiota, que nem parece novelas
Se as novelas mudarem e ficarem igual a Tempos Modernos vou ter que assistir filmes?

Daniel César disse...

Entendi, mas não concordo com vc. Apesar de achar sim Malhação ID a melhor temporada de Malhação desde 2003.

Guilherme disse...

2004 foi a temporada da Vagabanda, né?
foi ótima!

Guilherme disse...

Agora vou assistir o melhor programa da tevê brasileira: Vídeo Show!

Guilherme disse...

Record = traço no ibope
Globo = Ibope alto, BBB com 30 pontos já está na décima edição
A Fazenda na segunda edição com 10 pontinhos
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

LuKs disse...

Esse Guilherme deve ser dono da Globo. Nunca vi tanta alegria com os programas de quinta dessa emissora.

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira