segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Há solução para a dramaturgia da Record?

A Rede Record fez uma aposta alta - e com bons resultados, diga-se - desde meados da década passada. Apostou na teledramaturgia como forma de atrair telespectadores fieis na briga pela audiência. Tentando encontrar seu próprio caminho, a emissora produziu folhetins de grande apelo popular e com audiência surpreendente, como Prova de Amor e Vidas Opostas. Mais do que simplesmente a briga por números, a emissora produziu excelentes obras, Essas Mulheres, Chamas da Vida e Poder Paralelo são a prova disso.

Porém, também na teledramaturgia houve excessos que levaram a Record para um caminho que tentava alcançar resultados imediatos, mas sem consolidar-se. Atualmente, com dois horários para as novelas, a emissora não consegue repercutir nenhuma de suas obras que estão no ar e, muito pior, elas não carregam um décimo da qualidade a que se propôs a emissora quando iniciou o projeto.

Rebelde e Vidas em Jogo certamente não entrarão para a história da Record pela qualidade textual e muito menos pela audiência. Se a primeira chegou cheia de expectativas com o objetivo fundamental de atrair os jovens para a emissora, conseguir números estáveis - em torno dos 13 pontos seria considerado satisfatório - e grande repercussão no universo teen, os números são assustadores e abortaram qualquer possibilidade de elevar Rebelde a várias temporadas, pois nem de longe a produção atende às expectativas da emissora.

Vidas em Jogo, a produção de dramaturgia mais cara da História da emissora - mais cara que muita novela da Globo até - é um fracasso retumbante. Com números discretos de audiência, a novela deve sair de cena sem chamar a atenção do telespectador e logo deverá ser lançada ao mar do esquecimento. Graças a uma trama fraca, núcleos que não agradaram e atuações apenas discretas, a novela nem de longe conseguiu recuperar a audiência da emissora no horário.

A falta de experiência da Record em teledramaturgia mostra que a emissora caminha por uma estrada perigosa, que o SBT já andou e significou o fim de seu núcleo de novelas. Atualmente, apenas as produções de Lauro César Muniz são garantia de qualidade na emissora, mas nem ele consegue dar a garantia de audiência, porque com tanta falta de cuidado por parte da direção, é difícil acreditar que haja solução.

1 Quebraram tudo:

Portal Cascudeando disse...

A Record tá meia perdida, sem credibilidade e isso está refletindo na volta por cima da Globo! Audiência está se estabilizando novamente!
@cascudeando
www.portalcascudeando.blog.com

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira