quinta-feira, 17 de junho de 2010

Copa na TV Aberta é muito divertida

Assistir a Copa do Mundo de 2010 na TV aberta é uma das atividades mais divertidas atualmente para qualquer cidadão brasileira. Com os direitos adquiridos, a Globo divide a transmissão do principal evento de futebol do planeta com a Band e, ambas, prometem transmitir 56 jogos dos 64 de toda a competição. Os outros 8 serão mostrados em VT, já que não poderão ir ao ar ao vivo porque ocorrerão simultaneamente.

Para tamanha cobertura, ambas as emissoras mandaram para a África um enorme contingente de profissionais e levar - ou tentar - ao telespectador a melhor transmissão possível. Ficou só na tentativa, ao menos no que concerne às transmissões dos jogos em si. Nesta primeira semana de Copa o que se viu de narrador e comentarista falando de bobagem já dá para escrever um livro.

Não há o que questionar sobre a competência dos profissionais envolvidos, principalmente quando o assunto é futebol brasileiro. Band e Globo sabem levar ao público boas narrações dos jogos no país de Campeonato Brasileiro e torneios regionais. Porém, quando o assunto é futebol internacional, não há o mesmo grau de conhecimento e, aparentemente, não há também muita vontade em aprender.

Os principais erros ocorrem principalmente na pronúncia dos nomes dos jogadores de outros países. Ao telespectador mediano, isso provavelmente passa despercebido, porém, para os que acompanham o futebol internacional, dói muito no ouvido ter de escutar profissionais de TV inventando métodos para falar os nomes dos jogadores. Outro problema, este mais grave, ocorre na narrativa e comentário das seleções em si. Equívocos assombrosos e que demonstram grande desconhecimento dos times, dos jogadores e falta de acompanhamento histórico sobre disposição tática desta seleções, acontecem durante praticamente todos os jogos.

Nisso não há discussão. A TV Fechada dá um show na comparação. A ESPN Brasil vem realizando uma cobertura invejável da Copa na África. Os profissionais da emissora já são absolutamente bons naquilo que fazem, mas conseguem extrair do telespectador o que há de melhor nas transmissões da partida, dando gosto de assistir um jogo na emissora. Com menos qualidade, mas também muito melhor que a TV aberta, o SPORTV é a outra emissora a transmitir os jogos pela TV Fechada.

Aos que têm TV Fechada a dica é justamente acompanhar ou pela ESPN ou pelo SPORTV. Aos que não tem, a solução é se divertir com os escorregões nas transmissões.

5 Quebraram tudo:

Ary disse...

Meu,eu assisto jogos pela Tv aberta com a tecla "mute" acionada.

Duas coisas nessa Copa doem demais nos meus ouvidos:

1- o barulho das vuvuzelas

2-e falta de noção de narradores e comentadores.

Em tempo: o barulho das vuvuzelas até seria tolerável. Mas o "barulho" do festival de besteiras de narradores e comentadores,aí não,é demais para meu ouvido.

#campanhaacioneateclamute

Gabriel Borba disse...

Daniel e amigos
Acho que realmente as transmissões, principalmente na Globo, estão muito abaixo do que deveriam ser, tendo em vista o padrão das transmissões "locais" como foi muito bem dito no post.
No entanto, eu discordo dos motivos destes "escorregões". Não acho que tudo se deve ao fato de desconhecerem alguns jogadores ou seleções. O problema maior vem, infelizmente, de um despreparo para tratar com o "diferente". Um dia desses fui obrigado a escutar, em um jogo da Coréia do Sul, que o difícil para o juiz seria saber para quem deu cartão.
Uma coisa é fazer uma piada entre amigos, outra é fazê-la em rede nacional. Total despreparo.
Outra coisa que estou achando MUITO RUIM é o programa "Central da Copa", pois não acrescenta NADA ao que já foi dito nas transmissões, e se apóia em situações que ridicularizam jogadores e/ou seleções. É o humor pelo humor. Acho que não se encaixa. Tudo bem, o Tiago Leifert escreveu um dia desses que o futebol não é uma coisa séria, mas ridicularizá-lo eu acho totalmente desnecessário.
Infelizmente, acho que a Band está pior que a Globo nas transmissões (e digo infelizmente por que gosto muito da Band no Esporte - talvez por saudade do que ela já foi): os comentários do Neto são de dar dó (quase chegam ao patamar dos do Casagrande), e o Luciano do Valle parece que äs vezes "viaja na maionese" (quase como o Cleber Machado).
Estou gostando muito das narrações do Luis Roberto, embora erre muito na pronúncia dos nomes dos jogadores, mas pelo menos tem se atido no jogo.
Ary, tecla MUTE e ouvido no rádio. Para quem pode, escute os jogos na Gaúcha AM/FM. As transmissões são show de bola.
Um abraço a todos.

Eryck Taques disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruno Lopes disse...

Concordo plenamente, fico estarrecido com a displicência de alguns narradores e comentarista da tv aberta, que agente imagina que acompanham futebol europeu(só imagina né), mas na prática vimos que isso não acontece.

Por exemplo, özil (pronuncia-se ãzil), jogador da Alemanha e que joga no Werder Bremen, virou Ozíl na narração do Galvão. E o Neto ainda teve a pachorra de chamar o bom atacante Alemão de Ozéia, além de chamar sneijder da holanda de schneider. Quer dizer, como é que eu vou levar a sério um comentarista que não conhece nem os jogadores dos jogos que ele está comentando. Acho que os únicos que se salvam nessas transmissões são o Casagrande e o Falcão - que aliás anda bem sumido nessa copa.

Caroline® disse...

Acho bobagem falar da pronúncia dos nomes. Alguém sabe se os narradores gringos falam perfeitamente o nome dos brasileiros? Não sei, talvez até falem, já que quase todos jogam no exterior e são bem mais conhecidos que os outros. Pelo menos no futebol, o Brasil é a potência. Eles conhecem os nossos, mas nós não conhecemos os deles. Isso faz pouco diferença na narração. O ruim são as bobagens que se fala durante os jogos.

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira