quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Salve Jorge é a melhor novela de Gloria Perez

A despeito de alguns 'críticos' que insistem em apenas falar mal e encontrar defeitos em todo e qualquer folhetim que esteja no ar, é impossível negar o sopro de criatividade que refresca Salve Jorge. Desde que João Emanuel Carneiro surgiu no horário das 21 Horas com A Favorita pareceu ponto pacífico para todos que os autores do horário precisavam se reinventar se quisessem continuar produzindo folhetins de qualidade e que agarrassem a audiência.

Pois é justamente isso que a autora Gloria Perez vem realizando em seu atual trabalho. Após investir pesado na cultura de outros países em três tramas seguidas - O Clone, América e Caminho das Índias - a novelista bem que iniciou Salve Jorge nos mesmos moldes, mas foi rápida o bastante para notar que a aposta em outras culturas já não mais agradava como fez em outros momentos e, rapidamente, costurou um roteiro intenso, complexo e cheio de amarrações contundentes.

A autora, pupila de Janete Clair, fez novelas bastante burocráticas nos últimos tempos quando se pensa em novidades de roteiro. Todas as três citadas anteriormente tiveram estruturas parecidas, além de terem enfrentando um bom período de barriga. Com a atual isso não acontece. Percebendo que o público atual prefere tramas mais densas, diálogos rápidos e cenas alucinantes, além de inúmeras viradas, a autora não se fez de rogada, se reinventou enquanto profissional e vem realizando um trabalho fascinante.

Salve Jorge nem de longe lembra a novela apresentada ao público nos primeiros capítulos. Muito mais intensa, com a construção de personagens mais densos e com núcleos tendo participações importantes e todos eles caminhando com histórias interessantes, a novela ganhou ares de saga e vem conseguindo chamar a atenção justamente por conta de sua trama intensa, forte e com cenas movimentadas em praticamente todos os capítulos.

A sacada em investir na trama do tráfico de mulheres em muitos núcleos, movimentando toda a história da novela, foi importante para dar essa guinada para o folhetim. As muitas viradas da protagonista Morena também contribuíram para que a novela se encorpasse e tivesse uma estrutura importante. Mas o ponto decisivo que torna tudo irresistível é a aposta de todas as fichas na personagem Helô, encarnada brilhantemente por Giovana Antonelli. A delegada é a grande responsável por sacudir os diversos núcleos e torna a história uma espécie de jogo de xadrez.

Se todos lembraram de João Emanuel Carneiro por sua inovação em levar ao ar novelas tão intensas, tão frenéticas e com tantos ganchos quanto Avenida Brasil, é preciso reconhecer e dar o mérito a Glória Perez que não teve medo de sair de sua zona de conforto, se adaptar ao que o novo momento pede e reinventar-se como novelista, acertando em cheio, tornando Salve Jorge, sua melhor novela.

7 Quebraram tudo:

rafael disse...

Não acho Salve Jorge tão ruim quanto falam,porém não acho a melhor novela da Glória Perez,na minha opinião O Clone foi muito melhor do que esta novela a novela ainda tem alguns núcleos chatos,porém acho Salve Jorge melhor do que novelas como: Fina Estampa,Insensato Coração, Passione, Caminho das índias,Portos dos Milagres, Terra Nostra, América, Viver a Vida e Esperança.

Chrystian Wilson Pereira disse...

Daniel! Estava em um blog sobre TV, e encontrei este texto aqui:

http://tvfoco.pop.com.br/audiencia/a-grande-giovana-antonelli/

É um plágio do que você escreveu recentemente sobre a Giovana Antonelli. Não colocaram nenhum crédito a você. O tal de Victor Paes consta como autor.
Não tenho o seu email, por isso posto aqui, pois você vai ver antes e deletar.

Se quiser falar comigo, o meu email é chrystianwilsonpereira@gmail.com

Diógenes disse...

Eu entrava nesse blog diariamente até o ano passado. Fazia parte da minha rotina. Adorava os textos aqui expostos. Entretanto, há uns 2 ou 3 meses, a sensação que tenho é que o blog, infelizmente, foi largado. Passam-se quase 20 dias entre uma postagem e outra. E o pior, perdeu-se a qualidade dos textos de outrora. Ficava impressionado e intrigado com tudo o que lia. Agora, os textos não despertam mais o mínimo interesse (isso quando há algum texto novo). Fiquei bastante triste, pois considerava este o site um dos melhores (senão O melhor) como crítica aos programas da TV aberta brasileira. Depois de ler essa postagem sobre essa novela, confirmei: este blog não é mais do mesmo. Sinceramente? Essa novela é a PIOR novela da Glória Perez (senão uma das piores novelas da 8/9). Chata, sem graça, sem química e nada atraente. Até tentei acompanhá-la por diversas vezes, já que sou noveleiro de plantão. Mas foi impossível. Sinto minha inteligência ofendida em alguns momentos. Enfim, não concordo com nenhum palavra escrita nesse texto. Mas defendo a idéia de que cada um tem absoluta liberdade para gostar ou não, e se expressar da forma como bem entender. O que é uma pena é justamente o fato de o blog estar largado ao mofo, e os textos terem declinado absolutamente de qualidade. Uma pena! Volta TVxTV ao que era antes, volta!

Thiago Monteiro disse...

Não acho essa novela nem melhor que "América" (uma das piorzinhas da autora) , muito menos melhor que "Explode Coração", essa sim, a melhor novela da autora!

Ceva disse...

Não é a melhor novela da Glória, nem de longe, mas a gente deve reconhecer a capacidade da Glória de, percebendo que a novela não tinha emplacado, refazer a trama e se reinventar. Tá de parabéns por não ter ficado, como dito no texto, na zona de conforto. A novela cresceu muito e se tornou bem legal. Espero que a Glória consiga manter o ritmo até o final!

Odmilson Silva Rodrigues disse...

Realmente a frequência das Postagens do Daniel César caíram muito, eu não vou julgar por que não sei o motivo, da mesma forma que eu não gosto de ser pré-julgado. Quanto à qualidade dos artigos, é uma questão de opinião, cada uma tem a sua, e ele não poderia agradar a todos sempre.

Sem querer ser puxa-saco eu ainda acho que o Daniel César é o crítico que mais se aprofunda nas suas análises, o que mais explora o interior das obras, e faz uma crítica bem enxuta (é claro que eu não concordo com tudo que ele fala) , enquanto alguns outros críticos são diferentes, Maurício Stycer, tem um censo de percepção muito apurado, repara nos menores e mais imperceptíveis detalhes; já Nilson Xavier tem uma memória muito boa, se lembra de fatos de novelas e acontecimentos da televisão bem antigos; enquanto o José Armando Vanucci baseia seu trabalho apenas na notícia, e não na análise crítica, ele apenas dá informação, mas não comenta, não dá a opinião dele,; já Sônia Abrão, Nelson Rubens e leão lobo eu não considero críticos e sim colunistas e apresentadores.

Italo B. Filho disse...

Eu tenho a mesma impressão do Diógenes. Apesar de gostar da novela, os textos realmente estão escassos e a qualidade já foi melhor, hoje só tem obviedades. E a maioria só foca a Globo, por quê não mostrar atrações de qualidade escondidas na grade de outras emissoras?

Uma pena! Volta TVxTV ao que era antes, volta! [2]

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira