quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Salve Jorge encontra seu caminho. E promete!

Por mais que este que vos fala discorde da opinião geral de que a primeira fase de Salve Jorge tenha sido das piores coisas da TV, é inegável que houve uma rejeição gritante para com a novela. Quando se há rejeição, cria-se uma espécie de birra e, por mais que haja um esforço de produção para melhorar os rumos do produto, as críticas continuam ecoando ainda por um tempo, principalmente quando elas são amparadas por números constrangedores de audiência.

Mas, verdade seja dita, nas últimas duas semanas, o folhetim das 21 Horas deu um salto de qualidade e tanto. A trama não era péssima, mas mostrava-se bastante arrastada numa espécie de Prólogo da História que a autora pretendia contar - a primeira fase com a protagonista ainda no Brasil e vivendo um romance com o mocinho. Independente disso, nas duas últimas semanas, com a preparação do roteiro para a primeira virada, o texto claramente ganhou agilidade, mesmo com diversos núcleos tudo foi se amarrando de forma mais clara e, a sensação de confusão que pairava nos primeiros capítulos, deixou de existir.

O capítulo de ontem foi, certamente, o primeiro a ser elogiado de forma quase unânime - quase porque a birra ainda permanece - e com razão. De longe, foi o melhor capítulo de Salve Jorge desde a estreia, mas não foi um momento solto e que não causa sequer esperança para o público. A autora preparou muito bem este momento de clímax criando situações importantes e que foram chamando a atenção do telespectador ao longo das últimas semanas.

O roteiro da novela vem muito bem amarrado e construiu uma relação forte que certamente irá agregar agora que a saga de sofrimento de Morena (Nanda Costa) finalmente começou. Enxergar, contudo, apenas a protagonista sendo inserida na trama mais atraente desde o início - o tráfico de mulheres - é simplificar. Todos os núcleos da novela se encorparam e ganharam vida, passaram a fazer sentido no contexto da história contada pela autora.

Mas é preciso frisar que o público sempre abraçou melhor o núcleo do tráfico. Por isso, olhando para trás, percebe-se que o Prólogo pretendido por Glória Perez tenha sido, talvez, o grande equívoco da autora. Tal qual Insensato Coração demorou quase 100 capítulos para construir a personalidade sórdida de Norma (Glória Pires) em sua vingança contra Léo (Gabriel Braga Nunes), arrastando a trama, em Salve Jorge foi desnecessário tantos capítulos para introduzir Morena ao núcleo do tráfico. Toda a história de amor entre ela e Théo (Rodrigo Lombardi) poderia ser contada de outra forma e bem mais rapidamente. A introdução - que serviu para construir a personalidade das personagens - acabou se tornando maior que o necessário.

Independente disso, está claro que não tivemos um capítulo solto. A história engrenou e isso é inegável. O roteiro tornou-se atraente e permitiu com que o elenco se destaque, como foi o caso de Totia Meireles e Nanda Costa. As duas protagonizaram uma excelente sequência nos dois últimos capítulos, desde a partida do Brasil, até a briga, já na Turquia. Nanda Costa, aliás, vem construindo uma protagonista dificílima e mostrando estar pronta para este árduo trabalho. A atriz vem fazendo bonito em cena.

Fato é que Salve Jorge encontrou seu caminho. Com a chegada de Morena a Turquia, o sofrimento da mocinha está apenas começando e a introdução para a história que a novela realmente pretende contar acabou. É hora de puxar a cadeira e acompanhar esse enredo que está apenas começando. E promete. 

6 Quebraram tudo:

Jurandir Dalcin disse...

Também gosto da novela desde o primeiro capítulo, mesmo com algumas coisas se arrasatando! Sei que a partir de agora, o sucesso vem vindo e cada vez esta mais perto!

JDComenta - jurandirdalcincomenta.blogspot.com.br

Neon Goulding Alum disse...

Nem de longe acho a novela ruim assim como pregam por aí. Aliás, ela tem em suas mãos um dos temas mais polêmicos e interessantes dentre diversos outros muitas vezes negligenciados nos folhetins. E é isso que me faz acreditar e torcer pela novela. O pessoal coloca culpa/desculpa no sucesso da anterior, no horário de verão, na protagonista. Quanto à Av. BR, confesso que foi uma boa novela, mas que para mim se perdeu em seus últimos meses. A Nina perdeu identidade depois da épica sequencia da "descoberta" dela como sendo Rita pela Carminha. Nem comento sobre o horário de verão. E quanto à Morena, acho que ela é uma das protagonistas mais humanas que já existiram. A atuação da atriz condiz inteiramente com a personagem que, por fim, condiz inteiramente com a realidade, com o mundo que vivemos. Já cansou ver protagonista com síndrome de donzela, toda "trabalhada" nas tendências de moda, personificação da moral e bons costumes e um dicionário/enciclopédia "verbal" e "psicológico" pronto a ajudar. A Morena tem o perfil da jovem brasileira. E a prova disso está em vc sair de sua casa e "em cada esquina" encontrar uma adolescente, "semi-nua" a lá periguetes e uma curta experiência de vida que assustaria qqr Constância da vida. E pior, ou melhor, não sei, é que vivemos isso. O que a novela tem de ruim? Muita coisa, é verdade. Principalmente esse casting gigantesco e que até agora se vê perdido. É grande o número de atores e, atores conhecidos do público. E com isso, muitos personagens sem história. Agora, acho que a novela decola. A história principal tem muito o que ser discutida e é bom ver um tema como esse presente nos lares. E o público está mudando. O desafio da autora tem sido grande. Não por substituir a antecessora, mas em dar continuidade à algo que já vem sendo percebido: uma maneira mais real de fazer novela.

Dandara Blue disse...

Dani Tate,

Vou abrir uma exceção e escrever durante o dia,porque o texto merece. Como sempre, impecável. Afirmo, sem medo de errar, que você é um dos melhores críticos que leio. Isso não significa que concorde com sua opinião. Neste caso específico, não concordo com quase nada. Assisti ao capítulo de ontem e o que vi foi: uma colcha de retalhos, que não alinhavou coisa com coisa. Vi diversos núcleos soltos e personagens (infelizmente) desperdiçados por ótimos atores/atrizes que chegam a ter 2 frases em 10 dias. Vi uma Cláudia Raia apática, em uma interpretação quase que figurativa. Vi diálogos rasos, beirando ao infanto-juvenil, tamanha obviedade. Mas, confesso, depois de purgar 48 minutos sem ver nada de bom, vi 1 minuto de uma interessante cena de briga. Agora, cá entre nós, que vemos juntos tantas coisas, você tem que concordar que foi uma cena boa, mas foi só isso- uma cena boa. Naquela hora, a direção poderia ter feito tanto, mas tanto pela obra, e o que vimos? Nem uma só tomada diferenciada, uma única distinção na fotografia, ambas as atrizes fizeram o previsto. Uma bateu, a outra apanhou. E a expressão dos que assistiram? Nada poderia ser diferenciado ali? Sequer um expressão de satisfação nas outras meninas? Eu concordo que o núcleo do tráfico é o "burro na sombra" de Salve,Jorge mas não vejo a menor lógica em tratar o tema de modo tão quadrado, didático, careta, em horário nobre. Falta ousadia, falta profundidade e principalmente, falta texto e direção. Quero ressaltar uma dúvida que tenho sobre a vilã do folhetim. Para mim, ficou claro que é a Totia, OK. Uma das coisas que contribui pra isso não seria a distância extrema da personagem de Cláudia Raia do núcleo principal, distância física mesmo, e mais, a distância dramatúrgica. Me parece que ela está em outra novela, não vejo a personagem intrínsica a nada. Sei que não me dará razão e acho justo que não dê, mas nessa última observação, apenas nessa, será que não estou certa?
Um prazer ler você e maior prazer ainda em debater com você.
Beijos,
Dandara

@tvxtv disse...

Oi Dandara :)

Obrigado pelos elogios *_*

De fato, eu discordo de seu comentário como um todo, sobretudo no que se refere ao texto, não o acho infantilóide nem nada do tipo.

Porém, concordo em três pontos importantes, um deles com ponderação: também acho que o texto poderia aprofundar mais, arriscar mais e discutir mais o assunto do tráfico de mulheres. Todavia, isso não significa que o que vemos no ar seja necessariamente ruim, só não é brilhante.

Os pontos que concordo muito com vc: a direção da novela é pobre. Não apenas a cena de ontem, da briga, foi ruim. O todo da direção mais atrapalha, mais empobrece do que faz qualquer outra coisa. Uma pena. Também concordo com você em relação a Cláudia Raia. A figura dela como vilã deve se intensificar a partir de agora, mas no prólogo da novela, ao menos, ela foi uma mera figurante de luxo, uma espécie de deusa do tráfico e intocável, importante, tão importante que não pode ser vista e isso fez com que o público não tivesse qualquer emoção sobre ela. Discordo que ela esteja atuando de forma equivocada, como a maioria diz, ao contrário, nas poucas cenas em que aparece, a vejo com um domínio de cena e uma composição dramatúrgica bem inteligente. Ela só não tem tido oportunidades para dar o seu melhor.

:)

TVmaníaco disse...

Acho que, pelo menos nessa parte do tráfico, a novela vai melhorar. E não há o que negar em dizer que várias tramas são arrastadas e desnecessárias.
http://minhatvveia.blogspot.com

Rafael Barbosa dos Santos disse...

Estou tentando gostar de Salve Jorge, mas ainda é difícil. Fiquei animado essa semana, com a chegada de Morena a Turquia, a cena em que ela descobre que foi enganada e a surra me fizeram acreditar que a novela iria dar uma guinada, mas passados dois capítulos , o que se vê é que Salve Jorge continua com um ritmo muuuuito lento, o que prejudica a tão interessante trama do tráfico. Morena levou um capítulo inteiro para só conseguir uma chave de Irina, que permanece presa até agora, a semana já virou e Irina ainda está lá trancada e Morena rodando a boate tentando achar uma saída que não encontra nunca. A trama precisa de mais agilidade, movimento, as coisas precisam acontecer, fica parecendo que Glória está poupando o enredo. A direção também está pecando em vários momentos, tratando um tema forte, dramático e real, de forma muito artificial, nada ali passa verdade, a novela como um todo, a vilã, o alemão, figurino, parece tudo muito fake. Quando vejo Salve Jorge a sensação que tenho é a de ver uma boa história sendo contada de forma errada e mostrada de forma totalmente equivocada. Devo admitir que ao menos me parece que os núcleos estão se ligando, e que a ação da novela começa a acontecer, ainda que há passos lentos. E quanto a Nanda Costa, nada tenho do que reclamar, sua atuação é irrepreensível, ela está há fazer muito bem sua Morena, e brilhou nas cenas em que se exigiu o máximo de sua carga dramática, acho uma atriz com um gigante potencial, que está fazendo por merecer essa oportunidade de protagonizar uma novela das nove, o mesmo digo de Totia Meireles que está roubando a cena e ganhando o espaço da vilã.

Twitter: @rafabsantpv

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira