quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Aquele Beijo é interessante, mas só

Após pouco mais de 20 capítulo exibidos, já é possível fazer uma análise um tanto quanto mais completa da nova novela das 7 da Rede Globo, Aquele Beijo. Com a responsabilidade de manter a média de 30 pontos para o horário - alcançada pelas duas antecessoras - a novela vem oscilando na audiência nestes primeiros capítulos, mas segue com números satisfatórios para um período inicial.

Com a marca carregada de seu autor, Miguel Fallabella, o folhetim é cheio de atalhos seguros para uma trama que chama a atenção do telespectador e que consegue fazer tudo funcionar desde a estreia. Sendo bastante carregada no humor crítico e debochado, grande estilo do autor, a produção consegue apresentar piadas reflexivas e, ao mesmo tempo, simples e até caricatas no melhor estilo pastelão, provocando o riso fácil.

Personagens como Iara (Cláudia Jimenez) abusam do humor pastelão, com qualidade, e conseguem provocar o telespectador e levá-lo às gargalhadas em poucos segundos, da mesma forma que Mirta (Jaqueline Laurence) que produz o riso, mas de forma mais crítica, reflexiva e, quase sempre com alguma crítica embutida.

No drama, também tudo funciona pelo melhor atalho, o de emocionar e envolver o telespectador. A história de Cláudia (Giovanna Antonelli) e Vicente (Ricardo Pereira) funcionou bem desde a estreia, também graças ao bom trabalho da dupla que conseguiu criar uma química interessante diante da tela e, ao show particular de Giovanna que está sendo a dona da trama até o momento.

Os grandes problemas de Aquele Beijo, contudo, são pontuais. O núcleo da "favela" não funciona em nenhum momento e com nenhuma personagem, pois não consegue transmitir a veracidade que tanto tenta. Personagens como os de Sheron Menezes e Fiuk não funcionam e chegam a irritar, assim como o de Herson Capri que incomoda, enquanto Marília Pêra continua discreta.

Aquele Beijo é uma novela bem interessante e que funciona bastante, mas não passa disso, momentos de entretenimento bacana, mas que não se torna imperdível e nem virá a ser um marco na história da teledramaturgia nacional.

4 Quebraram tudo:

O CABIDE disse...

Adoro suas críticas, é uma das melhores sobre tv!
Parabéns

Fábio

Lucas disse...

Gosto do humor do Falabella. Não paro religiosamente pra assistir a novela, mas quando ligo a TV no horário, assisto e me divirto!
Lucas - www.cascudeando.zip.net

Paulo Jr. disse...

Eu acho essa novela totalmente ignorável. Simplesmente é invisível.

E não, não tem o que eu esperava do humor do Miguel Falabela. Cadê a acidez que estavam em Toma Lá, Dá Cá e A Vida Alheia?

Rafael Nunes disse...

Miguel é muito talentoso mas novelas definitivamente não é o forte dele. Ele sempre erra a começar da escalação do elenco.

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira