domingo, 24 de abril de 2011

Incoerência dá o tom na despedida de Araci

Desde que surgiu em Insensato Coração, a personagem Araci, vivida por Cristiana Oliveira, chamou a atenção. Os olhos da crítica e do telespectador se voltaram para a personagem, muito disso graças ao excelente trabalho de composição realizado pela atriz que voltou aos holofotes após muitos anos com personagens pequenos.

Em algumas aparições Araci conseguiu criar o clima de rivalidade com Norma (Glória Pires) que todos esperavam desde o início do folhetim assinado por Gilberto Braga e Ricardo Linhares. Muito disso se deveu a química da dupla que doaram ao máximo de seus talentos para realizar um bom trabalho. Aliás, as cenas de Norma e Araci, aliadas aos aparecimentos de Léo (Gabriel Braga Nunes) e Natalie (Débora Secco) são a salvação da novela.

A noite mais esperada desde a estréia de Insensato Coração ocorreu na noite deste sábado. A rebelião no presídio que desencadearia uma série de acontecimentos até a morte de Araci, que deve acontecer na próxima segunda-feira. A seqüência, é bem verdade, teve ar de superprodução, com direito a incêndio, perseguição e tiroteio, tudo feito com muito cuidado e leveza por parte da produção.

Ocorre que, a forma como tudo ocorreu foi mal desenhada, apesar de bem executada. Por toda a construção da personagem, Araci jamais iria acatar um pedido de Norma e muito menos permitir que ela negociasse a rendição das presas. Além do que, uma policial treinada e preparada para estes momentos nunca iria pedir ajuda para uma presa como aconteceu ali. A cena serviu só para, de uma certa forma, debochar da polícia carioca. 

Araci não é apenas violenta. Ela mostrou-se inteligente, cheia de contatos fora do presídio e capaz de comandar um esquema muito inteligente e perspicaz dentro do local. É impossível acreditar que uma pessoa assim fosse perder o controle numa situação como aquela e improvável imaginá-la dando um tiro numa detenta só porque a moça estava correndo, principalmente porque era o momento da rendição. 

Uma pena que, em 05 minutos, os autores da novela destruíram toda a composição da personagem que levou semanas para ser feita. Ainda assim, a partir de agora, é esperar para ver se, de fato, Norma se tornou outra mulher e a vilã que nos foi prometido e, sem dúvida, Cristiana Oliveira merece parabéns pela excelente personagem.

1 Quebraram tudo:

poesias e opiniões disse...

Nessa novela me encanta o trabalho do Gabriel que vive o Léo faz o mal caráter tão simpático que qualquer um incluindo o próprio irmão se deixa envolver por ele.

Postar um comentário

Twitter Facebook Adicionar aos Favoritos Mais

 
Tecnologia do Blogger | por João Pedro Ferreira